Vítimas da guerra no Afeganistão recuam em 2019, mas ultrapassam 10.000 – ONU

Cerca de 3.500 civis morreram e 7.000 ficaram feridos devido à guerra no Afeganistão no ano passado, menos 5% que em 2018, anunciou a ONU no 1.º dia de uma trégua parcial histórica no país.

Vítimas da guerra no Afeganistão recuam em 2019, mas ultrapassam 10.000 - ONU

Vítimas da guerra no Afeganistão recuam em 2019, mas ultrapassam 10.000 – ONU

Cerca de 3.500 civis morreram e 7.000 ficaram feridos devido à guerra no Afeganistão no ano passado, menos 5% que em 2018, anunciou a ONU no 1.º dia de uma trégua parcial histórica no país.

Cabul, 22 fev 2020 (Lusa) – Cerca de 3.500 civis morreram e 7.000 ficaram feridos devido à guerra no Afeganistão no ano passado, menos 5% que em 2018, anunciaram hoje as Nações Unidas no primeiro dia de uma trégua parcial histórica no país.

Segundo a Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (MANUA), 3.404 civis foram mortos e 6.989 feridos em 2019.

Apesar do número global de vítimas ter recuado 5% face a 2018, 2019 foi o sexto ano consecutivo em que o númeno ultrapassou a barreira dos 10.000, segundo a MANUA.

“Quase todos os civis no Afeganistão foram afetados pessoalmente de uma maneira ou outra pela violência em curso”, declarou o representante especial da MANUA, Tadamichi Yamamoto.

“É imperativo que todas as partes aproveitem esta oportunidade de parar os combates, porque a paz tardou demasiado. As vidas humanas devem ser protegidas”, adiantou o responsável das Nações Unidas.

A redução de 5% do número de vítimas é atribuído à diminuição das atividades da fação do grupo Estado Islâmico no leste do Afeganistão, que foi extinta no ano passado.

A trégua gradual entrou em vigor hoje às 00:00 locais (19:30 de sexta-feira em Lisboa), pelo prazo de uma semana para permitir a assinatura, em 29 de fevereiro, de um acordo entre os Estados Unidos e os talibãs que poderá acabar com a guerra.

Este acordo abre a perspetiva de uma retirada das tropas americanas, que travam no Afeganistão desde 2001 a guerra mais longa da sua história.

Os Estados Unidos estão em negociações com os talibãs há mais de um ano sobre este acordo, que prevê a retirada de tropas americanas em troca de garantias de segurança dos talibãs e a promessa destes de negociar com o governo de Cabul.

O relatório da MANUA indica uma flutuação significativa do nível de violência durante 2019, coincidindo com os altos e baixos das negociações.

MC // JNM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS