Venezuela registou 14.666 apagões elétricos só em junho

Na Venezuela ocorreram 14.666 apagões apenas durante o mês de junho, segundo uma monitorização dos serviços públicos feita pela “Cedice Libertad”, ONG que registou outros 21.096 falhas no serviço elétrico entre os meses de janeiro e maio de 2022.

Venezuela registou 14.666 apagões elétricos só em junho

Venezuela registou 14.666 apagões elétricos só em junho

Na Venezuela ocorreram 14.666 apagões apenas durante o mês de junho, segundo uma monitorização dos serviços públicos feita pela “Cedice Libertad”, ONG que registou outros 21.096 falhas no serviço elétrico entre os meses de janeiro e maio de 2022.

“Devido ao mau estado dos serviços públicos e às fortes chuvas na região andina, o estado de Táchira registou o pior desempenho em termos de eletricidade, com uma média de mais de nove horas sem serviço por dia”, explica um relatório da “Cedice Libertad”.

O documento “Monitorização dos Serviços Públicos — junho de 2022” explica que o governo regional de Táchira (um dos 24 Estados do país) “tem insistido na necessidade de avançar com um projeto humanitário para atender a emergência elétrica”.

Além de Táchira, as outras regiões venezuelanas com apagões de várias horas foram Mérida, Zúlia, Falcón, Barinas, Lara, Trujillo, Nova Esparta e Bolívar.

O relatório dá conta ainda que, com exceção do Distrito Capital, a população percebe o serviço elétrico como deficiente, e que no caso de Caracas 2% tem energia sem interrupções, 38% registou uma ou mais variações de voltagem e 60% ficou sem eletricidade por mais de 1 hora por dia.

O relatório dá conta ainda que apenas 2% da população teve água de maneira contínua, 5% seguiu um programa regular de racionamento hídrico e 40% com restrições não regulares. Por outro lado, 12% registou escassez de água por mais de uma semana e 41% durante 15 dias.

“Em média, um zuliano (do Estado de Zúlia) tem de viajar entre 4 e 5km para abastecer-se de água (…) os venezuelanos gastam em média entre 8 e 20 horas por semana do seu tempo para armazenar e tratar da água que consome”, explica.

O relatório dá conta ainda que “7 de cada 10 barragens apresentam problemas de contaminação”.

FPG // RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS