UNITA vai propor ao parlamento angolano estudo sobre alegada invasão estrangeira

Um deputado da UNITA, maior partido da oposição angolana, disse hoje em Luanda que vai propor ao parlamento a realização de um estudo sobre “a invasão nefasta de certos domínios estrangeiros”, com destaque para os cidadãos chineses.

UNITA vai propor ao parlamento angolano estudo sobre alegada invasão estrangeira

UNITA vai propor ao parlamento angolano estudo sobre alegada invasão estrangeira

Um deputado da UNITA, maior partido da oposição angolana, disse hoje em Luanda que vai propor ao parlamento a realização de um estudo sobre “a invasão nefasta de certos domínios estrangeiros”, com destaque para os cidadãos chineses.

Francisco Viana falava na qualidade de coordenador para a província de Luanda, no âmbito das visitas de constatação às 18 províncias de Angola realizadas por deputados da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA).

Na sua intervenção, Francisco Viana denunciou uma suposta “invasão de estrangeiros”, citando cidadãos chineses que estão “no tráfico da madeira, dos golfinhos e tudo no mar, tudo que é bicho tomam conta”.

“Claro que qualquer país precisa e dá boas-vindas aos estrangeiros, mas quando são estrangeiros que passam a mandar no nosso país, então esses estrangeiros, sobretudo quando eles estão mancomunados com líderes corruptos, não são bem-vindos”, disse Francisco Viana.

Segundo o deputado, “o que se está a passar com a comunidade e muitos setores da comunidade chinesa é inaceitável”.

“Se formos ali verificar o que eles já dominam a nível de todo o município de Viana [Luanda] é escandaloso e nós temos a Zona Económica Especial mesmo aí ao lado, pedimos na nossa deputação para podermos entrar e visitar a Cidade da China, não nos deixaram entrar, disseram que o patrão não estava”, frisou.

O deputado disse que, neste momento, estão em construção mais oito Cidades da China, realçando que os chineses além de exportarem e distribuírem, estão também a fazer fábricas, “para também absorver toda a parte fabril”.

“Significa que nós estamos com um grande e grave problema de soberania nacional”, expressou o deputado, afirmando que a comunidade chinesa está a fazer “muitas tropelias mancomunados com pessoas e governantes nossos [angolanos]”.

NME // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS