UNITA exorta Governo a criar condições humanas e técnicas para proteger angolanos do Covid-19

A UNITA, principal partido da oposição em Angola, apelou ao executivo para desenvolver campanhas relativas ao surto do novo coronavírus e encorajou a criação “urgente” de condições humanas e técnicas para “defender as vidas angolanas”.

UNITA exorta Governo a criar condições humanas e técnicas para proteger angolanos do Covid-19

UNITA exorta Governo a criar condições humanas e técnicas para proteger angolanos do Covid-19

A UNITA, principal partido da oposição em Angola, apelou ao executivo para desenvolver campanhas relativas ao surto do novo coronavírus e encorajou a criação “urgente” de condições humanas e técnicas para “defender as vidas angolanas”.

A propagação do Covid-19 foi um dos temas analisados na reunião do Comité Permanente da Comissão Política da UNITA que decorreu na terça-feira sob orientação do presidente do partido, Adalberto da Costa Júnior, e que contou com a participação de membros do Conselho Presidencial e do Governo Sombra.

Num comunicado hoje divulgado, a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) alertou para a necessidade de as populações observarem “cuidados preventivos”, apelando para a realização de campanhas de esclarecimento e para a criação “urgente” de todas as condições humanas e técnicas para defender as vidas angolanas, mostrando-se pronta “a cooperar” na cruzada contra o coronavírus.

Na reunião foi analisado o calendário de atividades do partido para março e início de abril, nomeadamente o programa das jornadas parlamentares, que vão ter lugar entre 11 a 13 de março no Kuanza Sul, e o ato central das comemorações dos 54 anos da fundação do partido, a 14 de Março no Sumbe, bem como o IV Congresso Ordinário da LIMA (organização feminina do partido) de 1 a 3 de Abril de 2020.

Foram também debatidos aspetos relativos à situação política e sócio-económica do país, com os dirigentes da UNITA a reiterarem a necessidade de reformas na Constituição e Comissão Nacional Eleitoral (CNE).

Saiu da reunião também um apelo aos angolanos para criarem “uma frente nacional para a institucionalização e funcionamento efetivo das autarquias, em simultâneo em todos os municípios neste ano de 2020”.

As autoridades de saúde de Angola não anunciaram o registo de qualquer caso de Covid-19 no país, sendo que na África Subsaariana apenas Senegal (quatro casos) e Nigéria (um caso) detetaram infeções pelo novo coronavírus.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou cerca de 3.200 mortos e infetou mais de 94 mil pessoas em 78 países, incluindo cinco em Portugal.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para “muito elevado”.

RCR // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS