UE/Presidência: Ministros da Defesa reúnem-se hoje com foco em Moçambique e Mali

Os ministros da Defesa europeus discutem hoje a parceria União Europeia-África, com destaque para a situação de violência terrorista em Moçambique e a instabilidade política no Mali, no último dia da reunião informal, em Lisboa.

UE/Presidência: Ministros da Defesa reúnem-se hoje com foco em Moçambique e Mali

UE/Presidência: Ministros da Defesa reúnem-se hoje com foco em Moçambique e Mali

Os ministros da Defesa europeus discutem hoje a parceria União Europeia-África, com destaque para a situação de violência terrorista em Moçambique e a instabilidade política no Mali, no último dia da reunião informal, em Lisboa.

O início dos trabalhos do segundo e último dia desta ministerial está marcado para as 09:00 da manhã (hora de Lisboa), no Centro Cultural de Belém (CCB), onde decorrerão as sessões de trabalho.

Depois do primeiro dia que arrancou com um jantar de trabalho com o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, centrado nas relações entre a União Europeia e a Aliança Atlântica, o segundo dia foca a atenção em África.

Na quinta-feira, o ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, anfitrião da reunião, presidida pelo alto representante para a Política Externa, Josep Borrell, adiantou à Lusa alguns dos temas que estarão em cima da mesa — entre eles, a “situação de grande instabilidade” no Mali e o apoio europeu a Moçambique, que enfrenta ataques terroristas desde 2017.

De acordo com o ministro, tem vindo a ganhar força a hipótese de a UE apoiar as autoridades moçambicanas na estabilização da situação em Cabo Delgado, sendo que desde o dia 19 de maio está no terreno uma missão técnica europeia que “já produziu alguns resultados”.

“Aquilo que nós prevemos para os próximos anos é que haja uma continuação e até alargamento das missões europeias em África. Mas tem faltado o diálogo político com as autoridades competentes africanas”, observou.

Se a anterior reunião de ministros da Defesa “permitiu constatar que havia um apoio bastante amplo para uma missão da UE” em Moçambique, esta ministerial “já vai ser sobre como é que se vai concretizar essa missão, qual vai ser a natureza da missão, quais os países que têm forças disponíveis para participar nessa missão”, constituindo-se como “um passo adiante”, concretizou.

Gomes Cravinho destacou ainda que, esta sexta-feira, os ministros da Defesa se reúnem com representantes de organizações regionais africanas para discutir a dimensão Paz e Segurança da Parceria UE-África e ainda com subsecretário-geral para as Operações de Manutenção de Paz da Organização das Nações Unidas.

Sobre a instabilidade no Mali, será discutido como é que a União Europeia “deve reagir”, tendo em conta que tem uma missão de formação para as Forças Armadas malianas no terreno.

Gomes Cravinho disse que o objetivo é “encontrar a fórmula apropriada para lidar com aquilo que, para a União Europeia é um dilema”: uma situação de “instabilidade e penetração do terrorismo no Mali, na região do Sahel mais amplamente, que representa uma ameaça para a estabilidade daquela região e uma ameaça direta devido a razões geográficas, razões de proximidade, para a própria segurança da Europa”.

De acordo com o programa oficial, neste segundo dia, será também discutida a chamada ‘Bússola Estratégica’ – uma prioridade da presidência portuguesa do Conselho da UE – “no seu pilar das capacidades e com enfoque nas tecnologias emergentes e disruptivas”.

No final da reunião, está marcada uma conferência de imprensa, com início previsto para as 14:00 (hora local), na qual participam o ministro João Gomes Cravinho e o Alto Representante da UE para a Política Externa, Josep Borrell.

ARYL // SF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS