UE/África: Moçambique é exemplo para cooperação no âmbito da segurança – Charles Michel

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, apresentou hoje a situação em Cabo Delgado como um “exemplo” para cooperação entre a UE e África no âmbito da segurança.

UE/África: Moçambique é exemplo para cooperação no âmbito da segurança - Charles Michel

UE/África: Moçambique é exemplo para cooperação no âmbito da segurança – Charles Michel

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, apresentou hoje a situação em Cabo Delgado como um “exemplo” para cooperação entre a UE e África no âmbito da segurança.

“Um exemplo de cooperação em matéria de segurança é o que se tem passado nos últimos tempos em Moçambique” e em que a UE poderá colaborar, disse Charles Michel, na conferência de imprensa final da VI cimeira União Europeia (UE) — União Africana (UA).

“O ponto de partida é o diálogo político, a escuta mútua, a análise conjunta de uma situação e a compreensão de qual a melhor maneira de sermos eficazes […], podemos acelerar o processo e disponibilizar uma determinada quantidade de meios, conforme as necessidades no terreno, para haver estabilidade e segurança”, referiu o presidente do Conselho Europeu.

Michel adiantou ainda que os debates mantidos entre as delegações nos dois dias da cimeira UE/UA permitiram que os dois blocos se escutassem mutuamente.

Moçambique pediu à UE para financiar as operações conjuntas entre as forças moçambicanas e militares do Ruanda e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral, que estão no terreno lutar contra o terrorismo.

Esta cimeira UE-UA, originalmente prevista para 2020, pôde finalmente acontecer devido à evolução da situação pandémica, que possibilitou a presença em Bruxelas de cerca de sete dezenas de chefes de Estado e de Governo dos dois continentes.

Quase cinco anos depois da anterior reunião de líderes da UE e UA, celebrada em Abidjan em 2017, Bruxelas acolheu a VI cimeira, que contou com a participação de cerca de 70 delegações ao mais alto nível dos Estados-membros das duas organizações, incluindo Portugal e os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

Os países africanos lusófonos estiveram todos representados ao mais alto nível na cimeira, incluindo pelos chefes de Estado da Guiné-Bissau, Moçambique e de São Tomé e Príncipe, o vice-presidente de Angola e o primeiro-ministro de Cabo Verde.

IG (LFO) // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS