Ucrânia: Rússia convoca reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre Busha

A Rússia convocou uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para discutir o que chamou de “provocações odiosas” da Ucrânia, que denunciou o assassínio de civis em Busha

Ucrânia: Rússia convoca reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre Busha

Ucrânia: Rússia convoca reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre Busha

A Rússia convocou uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para discutir o que chamou de “provocações odiosas” da Ucrânia, que denunciou o assassínio de civis em Busha

A Rússia convocou uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para discutir o que chamou de “provocações odiosas” da Ucrânia, que denunciou o assassínio de civis por tropas russas em Busha. “À luz das provocações odiosas dos radicais ucranianos em Busha, a Rússia solicitou uma reunião do Conselho de Segurança da ONU na segunda-feira, 04 de abril”, escreveu na rede social Twitter o vice-embaixador da Rússia na ONU, Dimitri Poliansky. O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, acusou no domingo os líderes russos de ordenar “tortura e assassínios” em Busha, na região de Kiev, onde foram encontradas valas comuns e centenas de corpos de civis.

Ucrânia: Zelensky defende “mecanismo especial” para investigar crimes russos
O Presidente ucraniano disse que será criado um “mecanismo especial” para “investigar e processar” todos os crimes “dos ocupantes” do país, acrescentando que irá funcionar com base no trabalho conjunto de especialistas nacionais e internacionais.

A Rússia negou que as tropas tenham matado civis em Busha e assegurou que todas as fotografias e vídeos publicados pelo Governo ucraniano são “uma provocação”. A ex-embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Samantha Power, criticou a decisão da Rússia. “A Rússia está a recorrer ao mesmo cenário da Crimeia e de Alepo [na Síria]: forçada a defender o indefensável, a Rússia exige uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para fingir indignação”, escreveu no Twitter. “Ninguém acredita nisso”, acrescentou a atual chefe da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional.

“Ninguém acredita nisso”

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.325 civis, incluindo 120 crianças, e feriu 2.017, entre os quais 168 menores, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior. A guerra provocou a fuga de mais de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 4,1 milhões de refugiados em países vizinhos e cerca de 6,5 milhões de deslocados internos. A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia. A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Impala Instagram


RELACIONADOS