Ucrânia pede acesso imediato ao local na Polónia onde caiu míssil

A Ucrânia pediu hoje “acesso imediato” ao local na Polónia onde caiu um míssil, na terça-feira, que Varsóvia e a NATO consideram “altamente provável” ser um projétil da defesa antiaérea ucraniana.

Ucrânia pede acesso imediato ao local na Polónia onde caiu míssil

Ucrânia pede acesso imediato ao local na Polónia onde caiu míssil

A Ucrânia pediu hoje “acesso imediato” ao local na Polónia onde caiu um míssil, na terça-feira, que Varsóvia e a NATO consideram “altamente provável” ser um projétil da defesa antiaérea ucraniana.

“A Ucrânia pede acesso imediato, para representantes da Defesa e da Guarda de Fronteiras, ao local atingido” pelo míssil, escreveu, na rede social Twitter, o secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional ucraniano, Oleksiy Danilov, que disse querer “um exame conjunto do incidente”. “Estamos prontos para entregar a prova do vestígio russo que temos”, referiu, depois de Moscovo ter negado formalmente ser responsável por este lançamento.

O secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional ucraniano acrescentou que Kiev “está à espera de informações dos parceiros, os quais concluíram que se tratava de um míssil de defesa aérea ucraniano”. O Presidente polaco, Andrzej Duda, disse considerar “altamente provável” que o míssil que matou duas pessoas na terça-feira numa localidade da Polónia, perto da fronteira com a Ucrânia, tenha sido utilizado pela defesa aérea ucraniana.

Também o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), Jens Stoltenberg, declarou hoje que a explosão ocorrida na Polónia “foi provavelmente causada” por um míssil ucraniano, mas ressalvou que “não é culpa da Ucrânia”. A guerra na Ucrânia dura desde 24 de fevereiro deste ano, quando a Rússia invadiu o território ucraniano e lançou ataques contra o país vizinho. O conflito mergulhou a Europa naquela que é considerada como a crise de segurança mais grave desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Impala Instagram


RELACIONADOS