Ucrânia: António Costa hoje em Bucareste e quinta-feira visita tropas portuguesas na Roménia

António Costa chega hoje à noite a Bucareste, encontrando-se na quinta-feira com os militares portugueses em missão da NATO na Roménia, e segue depois para a Polónia, onde na sexta-feira visita um campo de refugiados ucranianos.

Ucrânia: António Costa hoje em Bucareste e quinta-feira visita tropas portuguesas na Roménia

Ucrânia: António Costa hoje em Bucareste e quinta-feira visita tropas portuguesas na Roménia

António Costa chega hoje à noite a Bucareste, encontrando-se na quinta-feira com os militares portugueses em missão da NATO na Roménia, e segue depois para a Polónia, onde na sexta-feira visita um campo de refugiados ucranianos.

Na Roménia, António Costa estará acompanhado pela ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras, e pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação. O primeiro-ministro deverá chegar a Bucareste por volta das 19:30, tendo uma hora depois um jantar de trabalho oferecido pelo seu homólogo romeno, general Nicolae Ciuca. Na quinta-feira, pela manhã, antes de partir para a base militar onde se encontram os militares portugueses, o líder do executivo português participa numa reunião plenária com o Governo romeno, no final da qual será assinado um acordo bilateral de cooperação na área da Defesa.

Fique a saber o que aconteceria ao mundo com a explosão de todas as bombas nucleares
Em 2019 existiam 15 mil armas nucleares em todo o mundo e uma explosão simultânea teria poder suficiente para acabar com a raça humana (… continue a ler aqui)

Terá ainda encontros institucionais com o Presidente da República da Roménia, Klaus Iohannis, e com o líder da Câmara dos Deputados, Marcel Ciolacu, chegando ao início da tarde à Base Militar de Caracal. Uma visita em que, no início, estará acompanhado pelo chefe de Estado e pelo primeiro-ministro da Roménia. Em 15 de abril, o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, presidiu no aeroporto de Figo Maduro, em Lisboa, à cerimónia de partida dos 222 militares portugueses desta força nacional que participa na missão de dissuasão e de defesa da NATO. Segundo o chefe do Estado-Maior do Exército, o general Nunes da Fonseca, este contingente leva “os melhores e mais modernos meios de que as Forças Armadas dispõem e todos os militares se encontram aptos para responder a multifacetados desafios”.

O primeiro-ministro vai estar presente num jantar com empresários portugueses

O grupo é composto por atiradores de uma companhia de infantaria mecanizada e membros da equipa de operações especiais, que se juntarão a forças correspondentes do lado romeno. O contingente foi ainda reforçado com um módulo de defesa antiaérea, estando equipado com mísseis Stinger. Dispõe de um módulo de conjunto de informações e outro de apoio, embora a preparação tenha sido feita em tempo reduzido, em virtude das circunstâncias da guerra na Ucrânia. No entanto, de acordo com o chefe do Estado-Maior do Exército, a mobilização e treino desta força, “conjunturalmente céleres, pautaram-se pelos mais rigorosos padrões de pragmatismo e exigência”. Após esta visita às tropas portuguesas, o líder do executivo português parte na quinta-feira a meio da tarde para a Polónia, onde permanecerá até sexta-feira — uma deslocação que tem como principal preocupação a vertente humanitária em consequência da intervenção militar russa na Ucrânia.

Pouco depois de chegar a Varsóvia, na quinta-feira à noite, o primeiro-ministro vai estar presente num jantar com empresários portugueses. Já na sexta-feira, o ponto inicial do programa será um encontro com o primeiro-ministro da Polónia, Mateusz Morawiecki, havendo, no final, declarações conjuntas à imprensa. Para as 11:30, está prevista a chegada de António Costa ao Estádio Nacional de Varsóvia, onde está instalado um centro de acolhimento de refugiados. No início deste mês, o primeiro-ministro anunciou que Portugal vai contribuir com 2,1 milhões de euros em ajuda humanitária à Ucrânia, dos quais um milhão de euros para as respostas das Nações Unidas e 1,1 milhões adicionais. António Costa observou que Portugal, “apesar de ser o país mais ocidental da Europa e o mais afastado da Ucrânia, já recebeu 35 mil refugiados ucranianos”.

Impala Instagram


RELACIONADOS