Ucrânia: Centenas de pessoas manifestaram-se contra a Rússia em Kherson

Centenas de pessoas manifestaram-se hoje na cidade de Kherson, no sul da Ucrânia, em protesto contra a ocupação do país pelas forças da Rússia.

Ucrânia: Centenas de pessoas manifestaram-se contra a Rússia em Kherson

Ucrânia: Centenas de pessoas manifestaram-se contra a Rússia em Kherson

Centenas de pessoas manifestaram-se hoje na cidade de Kherson, no sul da Ucrânia, em protesto contra a ocupação do país pelas forças da Rússia.

De acordo com fotografias publicadas hoje no ‘site’ de um meio de comunicação regional (Souspilné), centenas de pessoas manifestaram-se na Praça da Liberdade, perto do cinema denominado Ucrânia, agitando muitas bandeiras e faixas com as cores azul e amarelo da Ucrânia. Vídeos publicados no sítio na internet de outro meio de comunicação independente (Ukrainska Pravda) mostraram uma multidão a gritar: “Vá para casa!”, “Vá para casa enquanto você ainda está vivo!” ou “Kherson – esta é a Ucrânia”. As imagens também mostraram soldados e veículos blindados em redor da manifestação, mas sem intervirem.

Kherson é a primeira grande cidade tomada pelos russos

Outro vídeo, publicado ‘online’ pela organização Information Résistante, criada em 2014 após a anexação da Crimeia e a ocupação de territórios no leste da Ucrânia por separatistas pró-russos, mostrou manifestantes a cantarem que os soldados russos são “ocupantes fascistas”. No final do vídeo de um minuto, ouviram-se o que pareciam ser tiros de aviso. A cidade de Kherson, situada perto da Crimeia, é a primeira grande cidade tomada pelas forças russas após a invasão da Ucrânia no dia 24 de fevereiro.

No sábado, várias autoridades ucranianas, incluindo o ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kouleba, acusaram os russos de quererem organizar um “falso referendo” para criar uma “falsa república popular”. Durante o conflito entre separatistas pró-Rússia e forças ucranianas no leste da Ucrânia a partir de 2014, parte das regiões de Donetsk e Lugansk autoproclamaram-se “repúblicas populares”. Moscovo reconheceu formalmente a sua independência pouco antes de invadir a Ucrânia.

LEIA AINDA
Ucrânia partilha imagens de soldados russos carbonizados [vídeos gráficos]

 

Impala Instagram


RELACIONADOS