Twitter qualifica de “incitação ao ódio” mensagem de ministro turco sobre LGBT

A rede social Twitter colocou hoje um alerta de “incitação ao ódio” em duas mensagens do ministro do Interior da Turquia, Suleiman Soylu, que fazem referência a “pervertidos LGTB”.

Twitter qualifica de

Twitter qualifica de “incitação ao ódio” mensagem de ministro turco sobre LGBT

A rede social Twitter colocou hoje um alerta de “incitação ao ódio” em duas mensagens do ministro do Interior da Turquia, Suleiman Soylu, que fazem referência a “pervertidos LGTB”.

A rede social Twitter colocou hoje um alerta de “incitação ao ódio” em duas mensagens do ministro do Interior da Turquia, Suleiman Soylu, que fazem referência a “pervertidos LGTB”.

“Este ‘tweet’ viola as regras do Twitter em relação ao discurso de ódio. No entanto, o Twitter determinou que pode ser do interesse público que permaneça acessível”, indica a advertência ao lado da mensagem de Soylu criticando protestos de estudantes contra a nomeação de um fiel do governo para dirigir a sua universidade.

“Deveríamos ser tolerantes com os pervertidos LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgéneros) que insultam a sagrada Caaba (construção e pedra em Meca)? Claro que não. Deveríamos ser tolerantes com os pervertidos LGTB que ocupam o edifício da reitoria? Claro que não”, refere o comunicado do Ministério do Interior que Soylu divulgou através do Twitter.

Desde o início de janeiro que numerosos estudantes da Universidade de Bogaziçi, uma das mais prestigiadas da Turquia, situada em Istambul, protestam contra o novo reitor, Melih Bulu, nomeado pelo presidente Recep Tayyip Erdogan sem consultar a comunidade universitária.

No sábado, a polícia deteve quatro estudantes, dois dos quais ficaram em prisão preventiva, por incluírem numa exposição de arte no campus uma obra mostrando a Caaba com as imagens de um ser metade mulher e metade serpente e de uma bandeira arco-íris, símbolo da comunidade LGBT.

A mensagem através da qual Soylu informou no sábado das detenções, usando também a expressão “pervertidos LGBT”, aparece agora igualmente com o mesmo alerta do Twitter.

Na segunda-feira, discursando perante a organização dos jovens do seu Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP, islamita), Erdogan declarou que a juventude turca “não é LGBT” e “não espalha a peste”.

Na madrugada de hoje a polícia prendeu realizou uma grande operação no campus da Universidade de Bogaziçi e deteve 159 estudantes, 108 dos quais foram libertados pouco depois.

São esperados hoje novos protestos em Istambul.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS