TV de São Tomé e Príncipe em protesto que ameaça estender-se a outros órgãos públicos

Os profissionais da televisão de São Tomé e Príncipe cumprem uma paralisação contra o atraso de um subsídio governamental e o protesto estende-se sexta-feira a todos os órgãos de comunicação social públicos se o pagamento não se concretizar hoje.

TV de São Tomé e Príncipe em protesto que ameaça estender-se a outros órgãos públicos

TV de São Tomé e Príncipe em protesto que ameaça estender-se a outros órgãos públicos

Os profissionais da televisão de São Tomé e Príncipe cumprem uma paralisação contra o atraso de um subsídio governamental e o protesto estende-se sexta-feira a todos os órgãos de comunicação social públicos se o pagamento não se concretizar hoje.

A presidente do Sindicato dos Jornalistas de São Tomé e Príncipe, Iyolanda Graça, disse à agência Lusa que o protesto se deve a um atraso no pagamento de um subsídio atribuído pelo Governo, o qual este ano ainda não foi pago.

A sindicalista contou que o sindicato abordou esta questão com o secretário de Estado da Comunicação social, o qual “deu uma garantia de que entre terça-feira e quinta-feira isso estaria resolvido”.

“Se hoje não for dado, pela parte do Governo, um sinal, na sexta-feira será decretada greve ao nível da comunicação social. Entramos amanhã em greve”, disse.

Hoje, apenas paralisaram os trabalhadores de comunicação social da televisão são-tomense. A rádio também iniciou o dia em protesto, mas, entretanto, suspendeu-o, estando a laborar normalmente.

Iyolanda Graça disse ainda que esta questão do subsídio é apenas um dos vários problemas com que se deparam os profissionais da comunicação social em São Tomé e Príncipe.

SMM // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS