Tusk explica hoje ao Parlamento Europeu processo de nomeações, debate adivinha-se ‘quente’

O presidente do Conselho Europeu vai discutir hoje com o ‘novo’ PE o processo de nomeações para os altos cargos da UE, num debate em que deverá ouvir fortes críticas das diversas bancadas.

Tusk explica hoje ao Parlamento Europeu processo de nomeações, debate adivinha-se 'quente'

Tusk explica hoje ao Parlamento Europeu processo de nomeações, debate adivinha-se ‘quente’

O presidente do Conselho Europeu vai discutir hoje com o ‘novo’ PE o processo de nomeações para os altos cargos da UE, num debate em que deverá ouvir fortes críticas das diversas bancadas.

Estrasburgo, França, 04 jul 2019 (Lusa) — O presidente do Conselho Europeu vai discutir hoje com o ‘novo’ Parlamento Europeu, em Estrasburgo, o processo de nomeações para os altos cargos da União Europeia, num debate em que deverá ouvir fortes críticas das diversas bancadas.

Apesar de, na quarta-feira, o Parlamento Europeu ter elegido o seu novo presidente, o socialista italiano David Sassoli, respeitando o compromisso alcançado pelos chefes de Estado e de Governo da UE no Conselho Europeu de terça-feira — que contemplava a eleição, para a primeira metade da legislatura, de um socialista, seguido de uma personalidade do PPE -, os eurodeputados das diferentes bancadas estão profundamente descontentes por os líderes dos 28 terem ignorado o modelo do ‘spitzenkandidat’ na designação de Ursula von der Lyden para presidente da Comissão.

A discussão ocorrerá no quadro do primeiro debate na nona legislatura do Parlamento Europeu formalmente constituído esta semana, com os presidentes do Conselho, Donald Tusk, e da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, sobre as últimas cimeiras europeias, dedicadas ao processo de nomeações para os cargos institucionais de topo da UE.

De acordo com o calendário indicativo, a presidente designada para a Comissão Europeia deverá ir a votos na segunda sessão do Parlamento Europeu, que terá já lugar dentro de duas semanas, em Estrasburgo (15 a 18 de julho), mas a votação até poderá ser adiada para depois da pausa para as férias de verão se o processo de aprovação pela assembleia se revelar particularmente complexo, como admitem diferentes bancadas, incluindo a do Partido Popular Europeu, família política à qual Úrsula Von der Lyden pertence.

ACC/MDR // EL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS