Tusk diz que propostas do Reino Unido

Tusk diz que propostas do Reino Unido “não são satisfatórias”

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, advertiu hoje o Reino Unido que as partes fundamentais da sua proposta para concluir as negociações do ‘Brexit’ não são satisfatórias e que devem ser revistas.

Donald Tusk aumentou a pressão sobre o Governo da primeira-ministra, Theresa May, lembrando que o tempo se está a esgotar para se conseguir um acordo, pois o Reino Unido vai deixar a União Europeia à meia-noite do dia 29 de março de 2019.

Apontando para as deficiências na proposta britânica para manter aberta a fronteira com a Irlanda e em relação à cooperação económica, Tusk disse aos jornalistas que “as propostas do Reino Unido precisarão de ser reformuladas e mais negociadas”.

Donald Tusk está em Salzburgo, na Áustria, para presidir um encontro entre líderes da União Europeia.

O principal obstáculo para concluir um acordo para o ‘Brexit’ é a intenção em manter os bens, pessoas e serviços a circular entre a Irlanda, Estado-membro da União Europeia, e a Irlanda do Norte, que é parte do Reino Unido.

“Todos os dias que nos restam devemos usar para as negociações. Eu gostaria de finalizá-las ainda este outono”, afirmou Tusk.

O negociador chefe da União Europeia para o ‘Brexit’, Michel Barnier, alertou na terça-feira que o encontro dos líderes em 18 de outubro, em Bruxelas, seria “o momento da verdade”.

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse hoje em Salzburgo que é a vez de os europeus “evoluírem nas suas posições” para desbloquear as negociações do ‘Brexit’.

“Se quisermos chegar a uma conclusão bem-sucedida, então, assim como o Reino Unido mudou a sua posição, a União Europeia também terá que mudar a sua posição”, afirmou.

AJO // JH

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Tusk diz que propostas do Reino Unido “não são satisfatórias”

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, advertiu hoje o Reino Unido que as partes fundamentais da sua proposta para concluir as negociações do ‘Brexit’ não são satisfatórias e que devem ser revistas.