Turismo Porto e Norte com lucro de 676 mil em 2020 devido a “gestão rigorosa”

A Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) registou um lucro de 676 mil em 2020, aumentando em 212 mil euros face a 2019, mas perdas de receita de 23% devido à pandemia, avançou hoje fonte daquele organismo.

Turismo Porto e Norte com lucro de 676 mil em 2020 devido a

Turismo Porto e Norte com lucro de 676 mil em 2020 devido a “gestão rigorosa”

A Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) registou um lucro de 676 mil em 2020, aumentando em 212 mil euros face a 2019, mas perdas de receita de 23% devido à pandemia, avançou hoje fonte daquele organismo.

Em entrevista telefónica à agência Lusa, Inácio Ribeiro, vice-presidente da TPNP com o pelouro do Orçamento, avançou que o resultado líquido de 2020 da TPNP foi de “676,880 euros”.

O aumento do lucro em 2020 face a 2019 explica-se pela “gestão rigorosa dos números” e pelo aparecimento da pandemia de covid-19, que não permitiu realizar inúmeras iniciativas na região, justificou Inácio Ribeiro.

“Por um lado, nós já estamos há dois anos na entidade e somos bem rigorosos na gestão dos números, um dos requisitos fundamentais para a boa gestão da coisa pública. Por outro lado, em parte pela covid-19, porque impediu-nos de fazer uma série de atividades que em tempo normal tinham que ser feitas, como a participação em feiras e eventos, uma série de dinâmicas que com o confinamento deixámos de poder fazer presencial e passou a ser apenas pelos meios que a tecnologia permite”, disse.

A Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) anunciou hoje que o Relatório e Contas de 2020 daquela estrutura foi aprovado, registando uma “severa redução” de receitas devido à covid-19.

“A Assembleia Geral da Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) aprovou o Relatório e Contas de 2020, com apenas uma abstenção”, pode ler-se no comunicado enviado hoje à comunicação social.

“Passámos do melhor ano de sempre [2019], para um dos piores de sempre [2020], pelos motivos que todos conhecemos [covid-19], mas mesmo assim tivemos quebras abaixo da média nacional”, declarou aos associados o presidente da TPNP, aquando da votação do documento.

Segundo Inácio Ribeiro, a “redução de receita foi de 23%”, ou seja, superior a “500 mil euros”.

“Essa redução [de receita], refere-se sobretudo com a não realização de eventos como a BTL (Bolsa de Turismo de Lisboa) e à perda de receita do bingo”, explicou Inácio Ribeiro, sublinhando que, apesar das quebras de receita, a entidade conseguiu um resultado líquido de 676 mil euros.

Outro indicador que Inácio Ribeiro destacou do Relatório e Contas 2020 da TPNP é que há “saldo de gerência acumulado de mais de 9,8 milhões de euros”, isso quer dizer que aquela entidade tem “reforçado e enfatizado na gestão financeira e amealhado”.

Contudo, a TPNP não tem autonomia financeira para aquele mais de nove milhões de euros, que estão “cativos”. A TPNP não está autorizada a utilizar esse dinheiro, pois estão em “gestão orçamental com base em cativos”, explicou.

Com os planos de curto e médio prazo que a entidade implementou e no redimensionamento da oferta para ir ao encontro do modelo turista saído da crise pandémica, o presidente da TPNP, Luís Pedro Martins, acredita ser possível “elevar os indicadores de atividade turística a patamares de fevereiro de 2020 até finais do ano de 2022, inícios de 2023”.

O resultado líquido é o lucro que a empresa apresenta num dado período, ou seja, aquilo que resta da sua receita, depois de considerados todos os custos do exercício.

CCM // JAP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS