Troca de acusações marca debate com primeiro-ministro no parlamento cabo-verdiano

Formação profissional, transportes aéreos e vacinação contra a covid-19 marcaram hoje o debate mensal com o primeiro-ministro no parlamento cabo-verdiano, com troca de acusações entre a maioria e a oposição, em clima de pré-campanha eleitoral.

Troca de acusações marca debate com primeiro-ministro no parlamento cabo-verdiano

Troca de acusações marca debate com primeiro-ministro no parlamento cabo-verdiano

Formação profissional, transportes aéreos e vacinação contra a covid-19 marcaram hoje o debate mensal com o primeiro-ministro no parlamento cabo-verdiano, com troca de acusações entre a maioria e a oposição, em clima de pré-campanha eleitoral.

“O ataque à Cabo Verde Airlines é feito de uma forma sistemática porque tem um acionista estrangeiro”, acusou o chefe do Governo e presidente do Movimento para a Democracia (MpD, maioria), Ulisses Correia e Silva, visado pela líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), Janira Hopffer Almeida, com os sucessivos avales do Estado, aprovados pelo Governo, a empréstimos da companhia aérea de bandeira.

Liderada (51%) por investidores islandeses desde 2019 e parada há quase um ano devido à pandemia de covid-19, o futuro, ainda indefinido, da Cabo Verde Airlines foi um dos temas que hoje marcou o debate mensal no parlamento com o primeiro-ministro, o penúltimo da legislatura, que termina com as eleições legislativas de 18 de abril.

Sem o aval do Estado (detém uma quota de 39%) a empréstimos pedidos pela companhia, nomeadamente para pagar salários aos 300 trabalhadores, Ulisses Correia e Silva dirigiu-se à líder do PAICV, recordando que governos em todo o mundo estão a “salvar” as companhias aéreas afetadas pela pandemia, questionando Janira Hopffer Almada se a “opção é liquidar a empresa”.

“Os trabalhadores são a empresa e são com o orgulho de pertencer à companhia”, afirmou Ulisses Correia e Silva, criticando a presidente do PAICV pela “obsessão” em falar “do acionista estrangeiro” (Icelandair) da Cabo Verde Airlines e garantindo que “em breve” a companhia voltará a operar voos comerciais.

“O desejo do descalabro não vai acontecer”, disse Ulisses Correia e Silva, após várias insistências da líder da oposição sobre o futuro da companhia aérea.

Num debate marcado ainda pela formação profissional, com o PAICV a reclamar que foi no seu Governo que o processo foi iniciado e o executivo apoiado pelo MpD a divulgar o crescimento de formandos na atual legislatura, Janira Hopffer Almeida criticou a “inconsistente” governação de Ulisses Correia e Silva, acusando-o de “não apresentar resultados” e apenas “medidas avulso”, sem políticas estruturantes para os vários setores.

A líder da oposição, que nas eleições legislativas de 18 de abril tenta fazer regressar o PAICV ao poder em Cabo Verde (o último período foi de 2001 a 2016), afirmou ainda que a pandemia de covid-19 teve impacto negativo no país no último ano, mas “não justifica a inércia e o descalabro registados” na governação.

“As promessas feitas foram guardadas na gaveta, as reformas estruturantes foram adiadas, o país foi gerido, nestes últimos cinco anos, sem uma visão e sem uma estratégia, com uma navegação ao sabor do vento. O executivo ficou embrulhado nos seus compromissos e sujeito a pressões de todo o tipo e sem tomar as decisões que o tempo nos impunha”, criticou Janira Hopffer Almeida.

As críticas da oposição à governação envolveram ainda o plano nacional de vacinação contra a covid-19, que prevê uma taxa de cobertura anual de 20%, até chegar a 2023 com um total de 60% da população.

Janira Hopffer Almeida acusou o Governo de não preparar este processo e de gastar em 2021 “tanto em publicidade como na compra de vacinas” contra a covid-19. Ulisses Correia e Silva explicou que 20% de cobertura em 2021 é uma previsão mínima, face à atual escassez de vacinas no mercado internacional, acreditando que será “muito mais” este ano e que há financiamento garantido para essa compra.

“Está em modo permanente de campanha”, acusou Ulisses Correia e Silva, criticando o discurso “populista” e com “falta de sentido de responsabilidade” da líder do PAICV.

“Deitar lama em tudo o que é concretização”, apontou o chefe do Governo, visando a oposição.

PVJ // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS