Trabalhadores dos centros INATEL em greve de 24 horas a partir de 3.ª-feira

Os trabalhadores dos centros de férias da fundação INATEL vão iniciar uma greve de 24 horas esta terça-feira, reivindicando o cumprimento integral do Acordo da Empresa e aumentos salariais de 90 euros, com efeitos ainda este ano.

Trabalhadores dos centros INATEL em greve de 24 horas a partir de 3.ª-feira

Trabalhadores dos centros INATEL em greve de 24 horas a partir de 3.ª-feira

Os trabalhadores dos centros de férias da fundação INATEL vão iniciar uma greve de 24 horas esta terça-feira, reivindicando o cumprimento integral do Acordo da Empresa e aumentos salariais de 90 euros, com efeitos ainda este ano.

A paralisação inicia-se na terça-feira às 00:00 e termina na quarta-feira, à mesma hora.

“Esta greve tem a ver com dois aspetos fundamentais. Em primeiro com o acordo da empresa, que assinámos, o ano passado, pela primeira vez […]. Neste momento, a fundação não está a cumprir com o que assinou. A segunda questão tem a ver com os aumentos salariais de 2019”, apontou, em declarações à Lusa, a coordenadora da Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal (Fesaht), Maria das Dores Gomes.

Conforme explicou a sindicalista, durante a negociação do AE, ficou em ata, que se iria seguir uma nova discussão, mas sobre os aumentos salariais para 2019, o que acabou por não se verificar até à data.

“Já estamos no final de 2019 e tudo indica que a fundação está a arrastar as negociações, no sentido de passar 2019 em branco. Tendo em conta que estes trabalhadores ganham pouco mais que o salário mínimo nacional, queremos que 2019” seja já considerado no aumento, acrescentou.

Em causa está uma subida mínima de 90 euros mensais para todos os trabalhadores, bem como o pagamento deste valor a duplicar em dia de feriado.

“Achamos que estes trabalhadores estão a ganhar muito mal e queremos valorizar os trabalhadores e os salários”, vincou Maria das Dores Gomes.

A responsável da estrutura afeta à CGTP indicou ainda que a única justificação dada pelo INATEL para ainda não ter em cima da mesa uma proposta de aumentos prende-se com a necessidade de discussão das carreiras profissionais e da avaliação de desempenho.

Apesar de não querer avançar já números concretos, a Fesaht espera uma “boa adesão dos trabalhadores” ao protesto, com destaque para o Algarve e para algumas pousadas no Norte e Centro.

A par desta greve nacional, os trabalhadores dos centros de férias INATEL de Albufeira vão fazer uma concentração, na quarta-feira, pelas 09:30, junto às instalações da fundação.

PE // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS