Tancos: Ex-chefe de gabinete do ministro da Defesa diz que nunca descortinou qualquer encobrimento

Tancos: Ex-chefe de gabinete do ministro da Defesa diz que nunca descortinou qualquer encobrimento

O general adianta também que comunicou hoje, através do seu advogado, ao DCIAP, que está “disponível para ser ouvido, no âmbito deste processo”, sobre aquilo de que tem conhecimento.

Lisboa, 04 out (Lusa) — O ex-chefe de gabinete do ministro da Defesa admitiu hoje que recebeu em novembro o coronel Luís Vieira e o major Brazão, mas nunca percebeu qualquer “indicação de encobrimento de eventuais culpados do furto de Tancos”.

“Cumpre-me informar, em abono da minha honra e da verdade dos factos, que efetivamente recebi o Sr. coronel Luís Vieira [diretor da Polícia Judiciária Militar] e o Sr. Major Brazão [porta-voz da Política Judiciária Militar], no meu gabinete, em novembro de 2017”, refere o tenente-general António Martins Pereira, numa declaração escrita, enviada por e-mail à Agência Lusa.

O ex-chefe de gabinete do ministro Azeredo Lopes acrescenta que, “nessa ocasião ou em qualquer outra”, não lhe “foi possível descortinar qualquer facto que indiciasse qualquer irregularidade ou indicação de encobrimento de eventuais culpados do furto de Tancos”.

SF // VAM

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Tancos: Ex-chefe de gabinete do ministro da Defesa diz que nunca descortinou qualquer encobrimento

O general adianta também que comunicou hoje, através do seu advogado, ao DCIAP, que está “disponível para ser ouvido, no âmbito deste processo”, sobre aquilo de que tem conhecimento.