Standard Bank prevê que Moçambique vença recessão no segundo trimestre de 2021

O economista-chefe do Standard Bank em Maputo previu que a economia moçambicana supere a recessão durante o segundo trimestre de 2021, segundo uma nota de análise hoje divulgada.

Standard Bank prevê que Moçambique vença recessão no segundo trimestre de 2021

Standard Bank prevê que Moçambique vença recessão no segundo trimestre de 2021

O economista-chefe do Standard Bank em Maputo previu que a economia moçambicana supere a recessão durante o segundo trimestre de 2021, segundo uma nota de análise hoje divulgada.

“Perspetivamos que a economia supere a recessão apenas durante o segundo trimestre de 2021, podendo alcançar um crescimento médio de 2% para o ano como um todo, que contrasta com a previsão, para este ano, de uma contração de 1,3%”, referiu Fáusio Mussá.

Os números mantêm-se em linha com os divulgados pelo banco no início de outubro.

“Ambas a atividade económica e a confiança nos negócios em Moçambique continuam deprimidos e a sofrer as consequências negativas decorrentes da pandemia de covid-19, dos desafios relacionados com a insegurança e do alcance limitado das políticas monetária e fiscal que visam promover a recuperação”, acrescentou.

O economista-chefe do Standard considerou que “a pausa no ciclo de diminuição da taxa de juro promovido pelo banco central espelha o aumento dos riscos associados às perspetivas de inflação e às atuais pressões cambial e fiscal”. 

O Banco de Moçambique e a associação bancária do país estacionaram a ‘prime rate’ – taxa de juro de referência – da economia moçambicana nos 15,9% desde agosto.

“Esperamos que a principal taxa de juro de política monetária, a taxa Mimo”, utilizada no cálculo da ‘prime rate’, “se mantenha no atual nível de 10,25% por um período considerável”, admitiu.

Neste cenário, é provável que a taxa de juro de referência “se mantenha estável nos 15,9%”. 

Fáusio Mussa anteviu ainda, “devido à depreciação do metical, um provável aumento da inflação, de uma média esperada em torno dos 3% este ano, para 6,1% em 2021”.

O dólar terminou outubro a valer 73,24 meticais, “registando-se assim um aumento de 19,15% desde o início do ano até à data e de 16,61% face ao período homólogo”. 

As pressões associadas à liquidez do mercado cambial que se têm vindo a fazer sentir “poderão, possivelmente, continuar a dar azo a um aumento da cotação do par USD/MZN [dólar/metical]”. 

O banco aponta para um valor na casa dos 77 meticais no final do ano, que representará um aumento de 5,1% face às cotações atuais. 

“Para melhorar as expectativas, será necessário paz e reformas estruturais que promovam investimentos fora do setor dos recursos naturais”, concluiu.

LFO // LFS

Lusa/Fim

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS