São Tomé/Eleições: Urnas com afluência inédita - Comissão Eleitoral

São Tomé/Eleições: Urnas com afluência inédita – Comissão Eleitoral

As eleições em São Tomé e Príncipe estão a registar hoje uma afluência inédita, disse hoje o porta-voz da Comissão Eleitoral Nacional (CEN), que estimou uma participação entre 60 e 70%, duas horas antes do fecho das urnas.

“Nunca houve em São Tomé e Príncipe tanta afluência dos eleitores nas primeiras horas, e que continua neste momento”, quando faltam menos de duas horas para o encerramento das urnas, disse hoje em conferência de imprensa o porta-voz da CEN, Ambrósio Quaresma.

Apesar de a CEN não ter números concretos da taxa de participação, o representante deste organismo estimou que “cerca de 60 a 70 por cento dos eleitores já votaram”.

“Nunca vimos, falei com os coordenadores em todos os distritos e da região autónoma do Príncipe e dizem-me que há filas de cento e tal pessoas”, referiu, comentando que “as pessoas estão um bocado aborrecidas, mas têm de cumprir a ordem de chegada”.

Em Guadalupe, distrito de Lobata (a cerca de 12 quilómetros da capital são-tomense), a polícia teve necessidade de intervir, disparando tiros para o ar, “porque houve uma enchente de pessoas e os ânimos começaram a exaltar-se”.

As autoridades já admitiram que, após a hora do fecho das mesas de voto, às 18:00 (mesma hora em Lisboa), serão distribuídas senhas aos eleitores que estejam nos locais à espera.

Ambrósio Quaresma manifestou satisfação pela elevada taxa de participação: “Essa afluência, se continuar assim até ao fecho, é o país que fica a ganhar, porque o povo realmente compreendeu que é ele que exerce a sua soberania política”, disse.

A CEN tinha apelado aos eleitores para que não deixassem a votação para o final do dia, para evitar grandes enchentes, como se registam normalmente.

Nas legislativas de 2014, em que a Ação Democrática Independente (ADI) venceu com maioria absoluta (33 deputados em 55), registou-se uma abstenção de 28%.

Ambrósio Quaresma afirmou que as eleições legislativas e autárquicas e regional na ilha do Príncipe estão “a decorrer com normalidade”, mantendo-se apenas uma mesa de voto fechada, na roça Rosema, distrito de Lembá (noroeste do país), devido a uma “barricada” da população, que reclama “água, estrada, energia”.

Segundo o porta-voz da CEN, a votação será repetida no próximo domingo nessa mesa de voto, com 169 eleitores, mas se houver novo boicote, aquela população não participará nestas eleições.

Este organismo estima que a divulgação dos resultados preliminares das eleições de hoje decorra na madrugada de segunda-feira, “talvez às 06:00 ou 07:00”.

Mais de 97 mil eleitores de São Tomé e Príncipe escolhem hoje o futuro primeiro-ministro do país, com Patrice Trovoada a pedir a renovação da maioria absoluta e Jorge Bom Jesus a procurar levar o MLSTP-PSD ao poder.

Os são-tomenses vão eleger os 55 lugares da Assembleia Nacional, as lideranças das seis câmaras distritais da ilha principal e o novo governo regional da ilha do Príncipe.

As mesas de voto em todo o país (247, no total) abriram às 07:00 e encerram às 18:00, estando inscritos um total de 97.274 eleitores.

JH // VM

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

São Tomé/Eleições: Urnas com afluência inédita – Comissão Eleitoral

As eleições em São Tomé e Príncipe estão a registar hoje uma afluência inédita, disse hoje o porta-voz da Comissão Eleitoral Nacional (CEN), que estimou uma participação entre 60 e 70%, duas horas antes do fecho das urnas.