São Tomé/Eleições: Presidente cessante espera que sucessor respeite calendário eleitoral

O Presidente da República de São Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho, disse hoje esperar que o seu sucessor garanta o cumprimento do calendário eleitoral, após votar para as eleições presidenciais.

São Tomé/Eleições: Presidente cessante espera que sucessor respeite calendário eleitoral

São Tomé/Eleições: Presidente cessante espera que sucessor respeite calendário eleitoral

O Presidente da República de São Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho, disse hoje esperar que o seu sucessor garanta o cumprimento do calendário eleitoral, após votar para as eleições presidenciais.

“Que o ato continue tranquilo e que seja de facto uma festa da democracia, como sempre. Nós temos cumprido o calendário eleitoral, principalmente a eleição presidencial, a eleição legislativa, com rigor e é isso que gostaria, e contribuí e que o próximo continue cumprindo isso”, afirmou Evaristo Carvalho, em declarações aos jornalistas após ter votado, na escola D. Maria de Jesus, na capital são-tomense.

O chefe de Estado cessante, que não se candidatou a um segundo mandato no ‘Palácio do Povo’, apelou aos eleitores para que exerçam o seu direito de voto “com consciência, com tranquilidade, sem qualquer atropelo”.

Evaristo Carvalho chegou cerca das 11:10 ao local de voto, onde algumas dezenas de pessoas aguardavam a sua vez para votar.

Ao receber o boletim de voto, uma folha comprida, devido à quantidade de candidatos presidenciais, o Presidente ficou a observar durante uns momentos e quis confirmar: “Estão aqui os 19?”.

Questionado se era uma escolha difícil, Evaristo Carvalho disse que já sabia em que iria votar. “Até a dormir eu sei a minha escolha”, comentou.

“Mais uma vez é uma honra exercer o direito de voto e espero mais cinco, dez anos [para] voltar a exercer”, disse.

Sobre a eventual abstenção, Evaristo Carvalho mostrou-se otimista, afirmando que tem seguido o ritmo da votação pelas notícias: “Acho que vai ser pouco”.

Quanto ao ‘banho’, ou compra de votos, contra o qual advertiu na semana passada, disse ter “a impressão” de que o fenómeno “está a desaparecer na sociedade” são-tomense, justificando que “a população cada vez mais está ganhando consciência de que para o ato eleitoral não é preciso pagar para ir votar”.

Se acontecer, advertiu, “há sanção prevista”.

Um total de 123.301 eleitores são chamados hoje às urnas em São Tomé e Príncipe para escolher o próximo presidente da República.

No total, estarão disponíveis 304 mesas, das quais 262 na ilha de São Tomé e na Região Autónoma do Príncipe, que abriram às 07:00 locais (08:00 em Lisboa) e encerram às 17:00 (18:00 em Lisboa).

Na diáspora, onde estão registados um total de 14.692 eleitores, há 42 mesas. Portugal conta com o maior número de mesas (15), sendo o país com a maior comunidade recenseada (7.378 eleitores).

 

JH // MDR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS