Rio diz que já lutava pelo rigor nas finanças antes de Centeno “nascer para política”

Rio acusou o ministro das Finanças de “descaramento ou desconhecimento”, dizendo que ainda Centeno “não tinha nascido para a política” e já ele lutava pelo rigor nas finanças públicas.

Rio diz que já lutava pelo rigor nas finanças antes de Centeno

Rio diz que já lutava pelo rigor nas finanças antes de Centeno “nascer para política”

Rio acusou o ministro das Finanças de “descaramento ou desconhecimento”, dizendo que ainda Centeno “não tinha nascido para a política” e já ele lutava pelo rigor nas finanças públicas.

Évora, 25 set 2019 (lusa) — O presidente do PSD, Rui Rio, acusou hoje o ministro das Finanças de “descaramento ou desconhecimento”, dizendo que ainda Mário Centeno “não tinha nascido para a política” e já ele lutava pelo rigor nas finanças públicas.

No início de uma ‘arruada’ em Évora, Rio foi questionado pelos jornalistas sobre as críticas de Mário Centeno, que na segunda-feira advertiu que o rumo seguido pelo atual Governo não pode ser colocado em causa e criticou o PSD por “efabular” com um perigoso choque fiscal.

“É preciso ter muito descaramento ou desconhecer em absoluto o que é a minha obra na política, não só quando fui autarca, mas também quando fui deputado”, afirmou, acrescentando que “ainda o dr. Mário Centeno não era nascido para a política” e já ele travava “uma luta desde sempre pelo rigor nas finanças públicas”.

Para Rui Rio, as afirmações do ministro das Finanças demonstram “um desconhecimento absoluto ou uma falta de jeito para estas andanças”.

“O dr. Mário Centeno chegou à política há muito pouco tempo, eu já cá ando há muito tempo. Pelos vistos o dr. Mário Centeno não conhece a política portuguesa nem os seus principais protagonistas”, criticou.

Num comício do PS, na segunda-feira, Mário Centeno destacou os resultados do PS e, a seguir, passou ao ataque “à direita portuguesa que andava a clamar pela falta de crescimento”.

“O crescimento voltou a Portugal com este Governo, voltou a Portugal com António Costa. Sabem qual a razão de a direita ter a fábula de haver uma folga de 15 mil milhões de euros em 2023? Porque o PS colocou Portugal no mapa do crescimento. Mas não há espaço orçamental sem crescimento económico e isso eles ainda não conseguiram compreender”, afirmou o membro do Governo.

SMA (PMF) // ACL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS