Rentrée bloquista debate saúde mental, “novas pandemias” e enriquecimento injustificado

A saúde mental, a preparação para “novas pandemias” e o combate ao crime de enriquecimento injustificado são alguns dos temas que irão a debate na reentré do Bloco de Esquerda.

Rentrée bloquista debate saúde mental,

Rentrée bloquista debate saúde mental, “novas pandemias” e enriquecimento injustificado

A saúde mental, a preparação para “novas pandemias” e o combate ao crime de enriquecimento injustificado são alguns dos temas que irão a debate na reentré do Bloco de Esquerda.

Lisboa, 06 ago 2021 (Lusa) – A saúde mental, a preparação para “novas pandemias” e o combate ao crime de enriquecimento injustificado são alguns dos temas que irão a debate no Fórum Socialismo, reentré do Bloco de Esquerda, no final do mês.

O Fórum Socialismo regressa este ano e a realização divide-se em duas cidades para se adaptar à situação pandémica e evitar grandes ajuntamentos e deslocações: em Braga em 28 de agosto e Almada no dia seguinte.

Uma nota publicada no órgão do BE “Esquerda.net” adianta que as aberturas do evento estarão a cargo das deputadas Alexandra Vieira (Braga) e Joana Mortágua (Almada), “apresentando as propostas e programas para cidades que se mobilizem pelo direito à habitação, a justiça climática e uma urgente resposta à crise”.

Em Braga, os trabalhos contarão com a participação da eurodeputada e ex-candidata presidencial Marisa Matias, sobre a “atual política europeia”.

É no norte do país que serão também discutidos “os modelos públicos para o tratamento da saúde mental”, com o médico psiquiatra e professor da Universidade do Minho, Pedro Morgado, e será realizada uma sessão “dedicada à vida e obra do combatente antifascista Víctor de Sá”, com o ex-diretor da Biblioteca Pública de Braga, Henrique Barreto Nunes.

O primeiro dia encerra com novo debate intitulado “como nos preparamos para as novas pandemias”, na qual participarão o deputado Moisés Ferreira e o médico epidemiologista e diretor do Instituto de Saúde Pública do Porto, Henrique Barros.

Já em Almada, no segundo dia, a deputada Mariana Mortágua e o líder parlamentar do Bloco, Pedro Filipe Soares, “falarão, respectivamente, sobre as raízes da crise e as decisões necessárias para o combate ao crime de enriquecimento injustificado”.

O tema dos direitos das pessoas com deficiência será abordado pela deputada Diana Santos e “os 50 anos do 25 de abril animarão a sessão com os historiadores Fernando Rosas e Miguel Cardina”, escrevem.

Também o investigador Rui Borges “trará ao Fórum Socialismo uma parte da história sobre a relação entre a ciência e o marxismo”.

O encerramento será feito pela coordenadora nacional, Catarina Martins, “a partir das 17h30”.

Entre os participantes do Fórum Socialismo estão também o ex-coordenador do BE e economista Francisco Louçã, com uma sessão intitulada “é tempo de parar Zuckerberg” e o eurodeputado José Gusmão, que deixa a pergunta “plano de recuperação, para quê e para quem?”.

Temas como “o que está a acontecer em Cabo Delgado?”, lutas LGBTI+, “as autarquias na resposta à crise” ou ainda “o mundo pós-trumpismo” fazem também parte do programa.

Em 2020, devido à pandemia de covid-19, o partido liderado por Catarina Martins cancelou o Fórum Socialismo e substitui-o por quatro iniciativas descentralizadas nos distritos de Viseu, Braga, Setúbal e Porto, que funcionaram como a rentrée bloquista.

Outro dos formatos que regressa este ano, depois de um ano de suspensão devido à pandemia, são os comícios de Verão no Algarve, previstos também para o mês de agosto.

“Estes serão momentos de afirmação da proposta do Bloco de Esquerda para o próximo ciclo político. O Bloco de Esquerda dará prioridade a uma resposta robusta à crise e a um programa de igualdade e justiça climática para as cidades e para o território”, adiantou à Lusa fonte oficial do partido, no final de julho.

ARYL (JF) // SF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS