Remuneração bruta mensal por trabalhador subiu 2,9% para 1.142 euros em 2018, segundo o INE

O crescimento da remuneração bruta mensal por trabalhador acelerou para 2,9% em 2018, em relação ao ano anterior, para 1.142 euros, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística.

Remuneração bruta mensal por trabalhador subiu 2,9% para 1.142 euros em 2018, segundo o INE

Remuneração bruta mensal por trabalhador subiu 2,9% para 1.142 euros em 2018, segundo o INE

O crescimento da remuneração bruta mensal por trabalhador acelerou para 2,9% em 2018, em relação ao ano anterior, para 1.142 euros, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística.

Segundo o gabinete de estatísticas, em 2017, a remuneração mensal por trabalhador tinha ficado pelos 1.110 euros, ano em que tinha tido um acréscimo de 2,4%.

Por setores de atividade, a remuneração bruta total mensal por trabalhador situou-se em 773 euros nas atividades da agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca e em 921 nas atividades da construção.

Por seu turno, ascendeu a 2.472 euros nas atividades financeiras e de seguros e a 1.953 euros nas atividades de informação e comunicação.

Já nas atividades da eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio, incluída no grupo de atividades das secções B a E, a remuneração ascendeu a 3.021 euros.

O INE iniciou hoje a divulgação trimestral de estatísticas sobre a remuneração bruta mensal por trabalhador, calculadas a partir da informação da Declaração Mensal de Remunerações (DMR) da Segurança Social, que passou a ser enviada mensalmente ao INE no âmbito de uma medida Simplex+.

Esta informação abrange cerca de 396 mil empresas e a aproximadamente 3,6 milhões de trabalhadores.

Os resultados provisórios obtidos para o 1.º trimestre de 2019 apontam para uma subida de 2,5% em relação ao trimestre homólogo de 2018, para uma remuneração bruta mensal total por trabalhador de 1.068 euros.

JNM // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS