RCA: Pelo menos 12 membros de milícia morrem em combate com força de paz da ONU

Pelo menos doze membros de uma milícia que tentava entrar numa cidade nordeste da República Centro-Africana (RCA) morreram no domingo, num combate com as forças da missão das Nações Unidas no país (Minusca), anunciou hoje o Governo.

RCA: Pelo menos 12 membros de milícia morrem em combate com força de paz da ONU

RCA: Pelo menos 12 membros de milícia morrem em combate com força de paz da ONU

Pelo menos doze membros de uma milícia que tentava entrar numa cidade nordeste da República Centro-Africana (RCA) morreram no domingo, num combate com as forças da missão das Nações Unidas no país (Minusca), anunciou hoje o Governo.

“Após a entrada de combatentes armados da Frente Popular para o Renascimento da República Centro-Africana [FPRC, na sigla francesa] na cidade de Birao, as forças de paz da Minusca, acompanhadas pelas Forças Armadas Centro-Africanas (FACA), repeliram estes elementos”, refere uma declaração da missão, hoje publicada no seu portal.

A Radio France Internationale (RFI) cita hoje o porta-voz do Governo da RCA, Ange-Maxime Kazagui, referindo que houve registo de 12 mortos entre as FPRC.

No domingo, a FPRC lançou uma nova ofensiva contra a cidade de Birao, no nordeste do país, liderada pela milícia rival Movimento dos Libertadores Centro-Africanos para a Justiça (MLCJ).

Birao tem sido cenário de confrontos regulares entre os dois movimentos, signatários do acordo de paz de Cartum, assinado há um ano entre o Governo do país e 14 grupos armados rebeldes.

A RCA caiu no caos e na violência em 2013, depois do derrube do ex-Presidente François Bozizé por grupos armados juntos na Séléka, o que suscitou a oposição de outras milícias, agrupadas sob a designação anti-Balaka.

O Governo centro-africano controla um quinto do território, sendo o resto dividido por mais de 15 milícias que procuram obter dinheiro através de raptos, extorsão, bloqueio de vias de comunicação, recursos minerais (diamantes e ouro, entre outros), roubo de gado e abate de elefantes para venda de marfim.

Um acordo de paz foi assinado em Cartum, capital do Sudão, em fevereiro de 2019 por Governo e por 14 grupos armados, e um mês mais tarde as partes entenderam-se sobre um governo inclusivo, no âmbito do processo de paz.

Portugal está presente na RCA desde o início de 2017, no quadro da Minusca, com a 6.ª Força Nacional Destacada (FND) e militares na Missão Europeia de Treino Militar-República Centro-Africana, cujo 2.º comandante é o coronel António Grilo.

A 6.ª FND, que tem a função de Força de Reação Rápida, integra 180 militares, na sua maioria paraquedistas, pertencendo 177 ao Exército e três à Força Aérea.

Na RCA estão também 14 elementos da Polícia de Segurança Pública.

JYO // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS