Quatro funcionários de agência de notícias turca detidos no Egito

As autoridades egípcias detiveram hoje quatro funcionários da agência de notícias estatal turca Anadolu, anunciou a agência, uma ação que pode agravar as relações entre Ancara e Cairo.

Quatro funcionários de agência de notícias turca detidos no Egito

Quatro funcionários de agência de notícias turca detidos no Egito

As autoridades egípcias detiveram hoje quatro funcionários da agência de notícias estatal turca Anadolu, anunciou a agência, uma ação que pode agravar as relações entre Ancara e Cairo.

Depois de revistarem as instalações durante a noite, a polícia deteve hoje três egípcios e um turco contratados pelo escritório da agência no Cairo, explicou a Anadolu, acrescentando que não tem conhecimento onde os seus colaboradores estão atualmente.

Segundo a agência, o cidadão turco Hilmi Balci é o responsável financeiro e administrativo do escritório da Anadolu no Cairo.

Nenhuma explicação foi fornecida aos advogados dos funcionários sobre os motivos da sua detenção, indicou a Anadolu.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Turquia convocou hoje o encarregado de negócios egípcios em Ancara para pedir explicações.

“Esperamos que as autoridades egípcias libertem imediatamente os funcionários da agência Anadolu, incluindo um cidadão turco”, declarou o Ministério, denunciando um “ato imprudente” que visa “intimidar”.

O diretor de comunicação da presidência turca, Fahrettin Altun, referiu-se a um “ato hostil” que mostra “o desamparo das autoridades egípcias”.

Organizações de defesa dos direitos humanos denunciam regularmente as pressões contra os meios de comunicação social no Egito, país que ocupa o 163.º lugar de 180 no ‘ranking’ da liberdade de imprensa da organização não-governamental Repórteres Sem Fronteiras.

Estas detenções correm o risco de aumentar as tensões entre a Turquia e o Egito, dois pesos pesados do mundo muçulmano cujas relações se degradaram desde que o Presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sissi, chegou ao poder.

A demissão em 2013 do seu antecessor, Mohamed Morsi, o primeiro Presidente democraticamente eleito do Egito, foi fortemente criticada por Ancara.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, qualifica regularmente al-Sissi como um “golpista” e, no ano passado, acusou as autoridades egípcias de “matarem” Morsi, que morreu em junho durante o seu julgamento.

As tensões entre Ancara e Cairo reacenderam nas últimas semanas devido à sua oposição na Líbia.

Neste país devastado por um conflito civil, a Turquia apoia o Governo de Tripoli, reconhecido pela ONU, e o Egito apoia militarmente as forças rivais do marechal Khalifa Haftar, o homem forte do leste da Líbia.

O Cairo também se opõe às reivindicações da Turquia sobre áreas ricas em hidrocarbonetos no Mediterrâneo oriental.

SYSC // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS