Quase 20% do crédito em Cabo Verde estava sob moratória no final de junho

Quase 20% do total de crédito concedido em Cabo Verde estava, no final de junho, coberto pelo regime de moratória, medida implementada para mitigar as consequências da crise económica provocada pela pandemia de covid-19, segundo o banco central.

Quase 20% do crédito em Cabo Verde estava sob moratória no final de junho

Quase 20% do crédito em Cabo Verde estava sob moratória no final de junho

Quase 20% do total de crédito concedido em Cabo Verde estava, no final de junho, coberto pelo regime de moratória, medida implementada para mitigar as consequências da crise económica provocada pela pandemia de covid-19, segundo o banco central.

De acordo com o mais recente Relatório de Política Monetária do Banco de Cabo Verde (BCV), o regime das moratórias de crédito beneficiava um total de 2.100 entidades e 2.717 contratos em 30 de junho de 2021, representando 2,7% do total de contratos de crédito no sistema bancário.

Já o volume de crédito abrangido na mesma data pelo regime de moratórias era superior a 25.441 milhões de escudos (231,5 milhões de euros), “representando 19,8% do stock agregado do crédito à economia e aos governos locais”, o que compara com os 21,6% em 31 de dezembro de 2020.

Segundo o banco central, este volume de crédito em moratória é ainda equivalente a 14,2% do Produto Interno Bruto projetado para Cabo Verde em 2021.

Deste total de créditos em moratória, 77,5% é relativo a financiamentos a empresas, sobretudo dos setores de “Transportes e armazenagem” e “Alojamento e restauração”, 13,4% a particulares e 9,1% às câmaras municipais.

O Governo de Cabo Verde anunciou em 23 de julho a prorrogação até 31 de março de 2022 do regime de moratórias ao pagamento de capital e juros em empréstimos bancários, medida de mitigação das consequências económicas da pandemia de covid-19, que continuam a afetar a retoma.

As moratórias ao crédito foram aprovadas no final de março de 2020 e previam um primeiro período de seis meses, até 30 de setembro do mesmo ano, tendo sido então prorrogado até 31 de dezembro, devido à “evolução da covid-19, cujos impactos das medidas com vista à sua mitigação se fazem sentir na dinâmica económica e na situação financeira do país”, admitiu anteriormente o Governo.

O regime de moratória de créditos foi sendo prorrogado pelo Governo em 2021 e abrange, além de empresas e famílias, também autarquias, empresários em nome individual, instituições particulares de solidariedade social e associações sem fins lucrativos.

De acordo com dados anteriores do BCV, esse regime das moratórias de crédito “beneficiou um total de 1.931 entidades e 2.493 contratos de crédito” até final de 2020, cobrindo então um total de 25.404 milhões de escudos (229 milhões de euros) de empréstimos pelos bancos cabo-verdianos.

PVJ // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS