PSD: Rio admite que crise política real pode influenciar Conselho Nacional

O presidente do PSD afirmou hoje que vai insistir numa reflexão sobre uma disputa “ao mesmo tempo” de eleições internas e legislativas, no Conselho Nacional de sábado.

PSD: Rio admite que crise política real pode influenciar Conselho Nacional

PSD: Rio admite que crise política real pode influenciar Conselho Nacional

O presidente do PSD afirmou hoje que vai insistir numa reflexão sobre uma disputa “ao mesmo tempo” de eleições internas e legislativas, no Conselho Nacional de sábado.

Lisboa, 04 nov 2021 (Lusa) – O presidente do PSD afirmou hoje que vai insistir numa reflexão sobre uma disputa “ao mesmo tempo” de eleições internas e legislativas, no Conselho Nacional de sábado, admitindo que a crise política agora “real” pode influenciar alguns membros.

Em declarações aos jornalistas, no parlamento, Rui Rio disse que, para lá do pedido de ponderação, não é provável que ele próprio apresente uma nova proposta formal de adiamento das diretas e Congresso para depois das legislativas – que foi chumbada no Conselho Nacional de 14 de outubro com 71 votos contra, 40 a favor e quatro abstenções, ainda antes do ‘chumbo’ do Orçamento do Estado para 2022 que conduzirá à dissolução do parlamento.

No entanto, Rio não rejeitou que essa proposta possa partir de outros conselheiros, dizendo que os mais de 100 que têm essa possibilidade enquanto membros eleitos “são livres” de o fazer, sem descartar um desfecho diferente.

“Da outra vez não acreditaram num cenário que eu estava a dar como provável – haver crise política e eleições antecipadas. Não acreditaram porque era um cenário, agora não há cenário nenhum, agora o problema está à frente de nós é real, só não sabemos a data”, afirmou.

Questionado se uma maior afluência de conselheiros poderá inverter o tom da reunião – que foi mudada de um hotel para o Centro de Congressos de Aveiro -, Rio não foi taxativo.

“Pode ditar uma maior ou menor afluência, pode ditar o facto de não haver cenários, mas situações concretas. Uma coisa não dita: que é fazerem aquilo que eu mandar fazer. Eu não mando no Conselho Nacional, nem tão pouco domino o Conselho Nacional, como já ficou visto no último, não controlo nem tenho de controlar, só controlo os meus argumentos”, defendeu.

Questionado se manterá a sua recandidatura à liderança seja qual for o desfecho da reunião de sábado, Rio respondeu que “em princípio nada se alterará” nesse aspeto.

SMA // JPS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS