PSD quer criação de grupo de trabalho para acompanhar acordo da Base das Lajes

O PSD defendeu hoje a criação de um grupo de trabalho na Assembleia da República para acompanhar o acordo bilateral entre Portugal e os Estados Unidos para a cedência da Base das Lajes, na ilha Terceira, Açores.

PSD quer criação de grupo de trabalho para acompanhar acordo da Base das Lajes

PSD quer criação de grupo de trabalho para acompanhar acordo da Base das Lajes

O PSD defendeu hoje a criação de um grupo de trabalho na Assembleia da República para acompanhar o acordo bilateral entre Portugal e os Estados Unidos para a cedência da Base das Lajes, na ilha Terceira, Açores.

“O grupo parlamentar do PSD defende a constituição de um grupo de trabalho no âmbito da comissão dos Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, com o objetivo de acompanhar a execução do acordo bilateral EUA/Portugal, a propósito da Base das Lajes”, lê-se num comunicado de imprensa enviado pelo partido.

Os sociais-democratas salientam que a Base das Lajes “continua a ser um tema atual” e com uma “importante dimensão económica, social e ambiental”.

O partido liderado por Rui Rio considera o “processo de descontaminação dos solos e aquíferos” da ilha Terceira como uma das “matérias mais sensíveis em cima da mesa” na relação entre Portugal e os Estados Unidos.

Apesar do “bom entendimento” entre os dois países, o PSD defende que a monitorização do acordo poderá “contribuir de forma mais ativa” para que a relação entre Portugal e os Estados Unidos não se mantenha “desequilibrada”.

“Consideramos que estaríamos a contribuir de forma mais ativa para que esta relação não se mantivesse desequilibrada, com evidentes impactos económicos, sociais e ambientais para a ilha Terceira. Por isso, seria uma mais valia poder acompanhar todo este processo”, justificam os sociais-democratas.

A 08 de julho, o deputado do PSD na Assembleia da República Paulo Moniz disse ser “obrigação” do Governo da República rever o acordo entre Portugal e os Estados Unidos para a cedência da Base das Lajes, na ilha Terceira.

A 22 de junho de 2021, o vice-presidente do Governo Regional dos Açores, Artur Lima, disse que a contaminação dos solos na ilha Terceira, devido à base militar das Lajes, “piorou consideravelmente”, exigindo “avanços significativos” na descontaminação.

Em maio, o ministro da Defesa Nacional anunciou um investimento de cerca de três milhões de euros na construção da sede do Centro do Atlântico, na base das Lajes.

A sede deverá recuperar o edifício da antiga unidade de saúde da base das Lajes, utilizada pela Força Aérea norte-americana e desocupada aquando da redução militar que ocorreu a partir de 2015.

Portugal e os Estados Unidos assinaram, em Lisboa, em 1995, o Acordo de Cooperação e Defesa, que inclui também o acordo técnico, que regulamenta a utilização da Base das Lajes e outras instalações militares portuguesas, e o acordo laboral, que regula a contratação de trabalhadores nacionais na base açoriana.

Foi criada ao abrigo do Acordo a Comissão Bilateral Permanente, com a missão de promover a sua execução e a cooperação entre os dois países

RPYP (CYB)// ACG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS