Protestos em Myanmar continuam apesar de militares libertarem milhares de detidos

Os protestos contra o golpe de Estado continuam hoje nas ruas de Myanmar (antiga Birmânia), quando milhares de presos foram libertados pela Junta Militar, que prossegue, contudo, com a detenção de opositores.

Protestos em Myanmar continuam apesar de militares libertarem milhares de detidos

Protestos em Myanmar continuam apesar de militares libertarem milhares de detidos

Os protestos contra o golpe de Estado continuam hoje nas ruas de Myanmar (antiga Birmânia), quando milhares de presos foram libertados pela Junta Militar, que prossegue, contudo, com a detenção de opositores.

Cerca de 250 pessoas estão agora detidas desde o golpe de 01 de fevereiro, que depôs o Governo de Aung San Suu Kyi, de acordo com uma organização não-governamental que ajuda presos políticos, entre os quais funcionários locais, membros do parlamento, membros da comissão eleitoral e ativistas.

Os manifestantes exigem que o poder seja devolvido ao Governo de Aung San Suu Kyi, a libertação da Prémio Nobel da Paz (1991) e de outros membros do seu partido, a Liga Nacional para a Democracia, detidos depois de os militares terem encerrado a primeira sessão do novo Parlamento em 01 de fevereiro.

A ONU, a UE, os Estados Unidos, o Japão, a China, a França e o Reino Unido foram algumas das vozes internacionais que criticaram de imediato o golpe de Estado promovido pelos militares em Myanmar.

JMC (CSR) // EJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS