Presidente do MpD aponta desejo de vitória eleitoral nas 22 câmaras de Cabo Verde

O presidente do Movimento para a Democracia (MpD), Ulisses Correia e Silva, apontou o desejo de vencer as eleições autárquicas de 25 de outubro nas 22 câmaras, afirmando que essa eventual hegemonia não afetaria a democracia.

Presidente do MpD aponta desejo de vitória eleitoral nas 22 câmaras de Cabo Verde

Presidente do MpD aponta desejo de vitória eleitoral nas 22 câmaras de Cabo Verde

O presidente do Movimento para a Democracia (MpD), Ulisses Correia e Silva, apontou o desejo de vencer as eleições autárquicas de 25 de outubro nas 22 câmaras, afirmando que essa eventual hegemonia não afetaria a democracia.

“Se os cabo-verdianos nos derem 22 câmaras, nós governamos as 22 câmaras. E não tem nada a ver com qualidade da democracia. A democracia funciona, e tem estado a funcionar bem com as 18 câmaras [lideradas desde as últimas eleições pelo MpD] e pode funcionar com 22 câmaras”, afirmou o líder do MpD (partido no poder), durante a apresentação pública da plataforma autárquica 2020-2024, que decorreu hoje na Praia.

Ulisses Correia e Silva, que é também primeiro-ministro de Cabo Verde desde 2016, garantiu que o MpD vai a votos para vencer as eleições em todos os municípios, com “bons candidatos para competir” pela vitória, tudo dependendo da “avaliação” que cada munícipe vai fazer.

Melhorar a governação autárquica para assegurar o “desenvolvimento integrado” do país, criar emprego, reduzir a pobreza e a melhorar a qualidade de vida são as pretensões do partido para estas eleições, partindo do programa local, de cada candidato autárquico, para a estratégia nacional, até tendo em conta que no primeiro semestre de 2021 o arquipélago volta às urnas, para as eleições legislativas.

Segundo o calendário eleitoral para as Eleições Gerais dos Titulares dos Órgãos Municipais de 25 de outubro, definido pela Comissão Nacional Eleitoral, os partidos políticos, coligações e grupos de cidadãos podem começar a campanha eleitoral em 08 de outubro, no 17.º dia anterior ao designado para as eleições.

Contudo, devido à pandemia de covid-19, Ulisses Correia e Silva advertiu que estão fora de hipótese para a campanha eleitoral os “porta a porta que se costumam fazer, com abraços e beijinhos e apertos de mão”: “Pode-se fazer, mas com o devido distanciamento”, disse.

“É uma preocupação creio que de todos os candidatos, de todos os munícipes, que é como chegar ao eleitor sem ajuntamentos, comícios não vejo viabilidade de se fazer, a não ser neste ambiente [apresentação através da Internet e com presença física limitada na sala], no máximo cem pessoas”, acrescentou o líder do MpD.

A campanha eleitoral para as autárquicas decorre até às 24:00 do dia 23 de outubro.

As últimas autárquicas aconteceram em 04 de setembro de 2016. Nesta votação são escolhidos os autarcas dos 22 municípios de Cabo Verde.

Há quatro anos, o MpD venceu com os seus próprios candidatos 18 das 22 câmaras municipais, mais cinco do que nas autárquicas de 2012, enquanto o Partido Africano da Independência de Cabo Verde ganhou duas e outras duas foram conquistadas por independentes.

PVJ // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS