Presidente da Turquia diz está iminente operação militar no Norte da Síria

Erdogan disse que “está iminente” intervenção militar em território sírio contra milícias curdas e que terminou a paciência de Ancara para esperar pelo apoio dos EUA nesta operação.

Presidente da Turquia diz está iminente operação militar no Norte da Síria

Presidente da Turquia diz está iminente operação militar no Norte da Síria

Erdogan disse que “está iminente” intervenção militar em território sírio contra milícias curdas e que terminou a paciência de Ancara para esperar pelo apoio dos EUA nesta operação.

Ancara, 05 out 2019 (Lusa) – O Presidente da Turquina, Recep Tayyip Erdogan, disse hoje que “está iminente” uma intervenção militar em território sírio contra milícias curdas e que terminou a paciência de Ancara para esperar pelo apoio dos Estados Unidos da América nesta operação.

“Fizemos todos os preparativos, concluímos os planos da operação. Demos as ordens necessárias”, disse o chefe de Estado turco, num discurso perante membros do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), de que é líder.

“A possibilidade de abrir as fontes de paz decididas, cujo processo já começou, pode ser hoje ou amanhã”, acrescentou, referindo-se a quando poderá começar a operação militar.

Segundo um perito em segurança e ex-oficial do exército, Abdullah Agar, em declarações ao canal CNNTürk, estas palavras “significam uma ordem às Forças Armadas turcas para iniciar a operação”.

O objetivo da operação é eliminar a principal milícia curdo-síria, Unidades de Proteção do Povo (YPG), e o seu braço político, o Partido da União Democrática (PYD) no território sírio a leste do rio Eufrates.

Devido à sua relação com o Partido Trabalhista do Curdistão (PKK), a guerrilha curda ativa na Turquia, Ancara considera terroristas tanto as YPG como o PYD.

Enquanto o PKK é classificado como organização terrorista, não apenas por Ancara, mas também pelos Estados Unidos e pela União Europeia, os dois últimos não consideram terroristas nem as YPG nem o PYD.

Pelo contrário, as milícias curdas são aliadas dos Estados Unidos na luta contra o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico.

“Fomos pacientes o suficiente”, disse Erdogan hoje, dando a entender que Washington não respondeu como Ancara esperava para imporem juntos a chamada “zona segura”, uma faixa do território sírio na fronteira com a Turquia.

“Não dizem nada nesse sentido, pelo contrário, algumas autoridades [americanas] dizem que trabalham com eles. Então, o tempo das palavras acabou”, afirmou.

A Turquia vem pressionando os Estados Unidos para criar uma zona dita segura na Síria, uma faixa de 30 quilómetros ao longo da fronteira, onde planeia reinstalar refugiados sírios.

Desde 2016, a Turquia conduziu duas grandes operações militares no noroeste da Síria para limpar a região do Estado Islâmico e das YPG, de modo que a concretizar-se esta operação será a terceira.

Ancara afirma que a presença das YPG e do PYD no leste do Eufrates é uma ameaça à sua segurança nacional e acusa os Estados Unidos de os armar e treinar.

IM // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS