Presidente da Guiné-Bissau cancela agenda após denúncia de tentativa de golpe de Estado

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, cancelou a agenda prevista para hoje, depois de o primeiro-ministro, Aristides Gomes, ter denunciado uma tentativa de golpe de Estado.

Presidente da Guiné-Bissau cancela agenda após denúncia de tentativa de golpe de Estado

Presidente da Guiné-Bissau cancela agenda após denúncia de tentativa de golpe de Estado

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, cancelou a agenda prevista para hoje, depois de o primeiro-ministro, Aristides Gomes, ter denunciado uma tentativa de golpe de Estado.

Numa mensagem enviada aos jornalistas, o gabinete de comunicação da Presidência guineense anunciou que os dois encontros previstos para hoje, que deveriam decorrer às 11:00 (mais uma hora em Lisboa) e 11:30 foram cancelados.

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Aristides Gomes, denunciou na segunda-feira à noite, numa publicação na sua página do Facebook, uma tentativa de golpe de Estado para tentar impedir a realização de eleições presidenciais.

Na publicação, o primeiro-ministro revela também que o autor daqueles atos “está devidamente identificado de forma inequívoca e chama-se Umaro Sissoco Embaló”.

Umaro Sissoco Embaló, antigo primeiro-ministro guineense e dirigente do Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), é candidato às eleições presidenciais, marcadas para 24 de novembro.

O coordenador nacional do Madem-G15, Braima Camará, condenou hoje qualquer tentativa de sublevação do Estado de Direito e considerou “falsas” as acusações que envolvem Umaro Sissoco Embaló numa alegada tentativa de golpe de Estado.

A representante do secretário-geral da ONU na Guiné-Bissau, Rosine Sorri-Cloulibaly, disse hoje que as Nações Unidas estão a monitorizar a situação no país com preocupação e pediu aos atores políticos para evitarem ações e discursos que possam incitar à violência.

MSE // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS