Presidente da Fundação José Eduardo dos Santos em liberdade com termo de identidade

A Procuradoria-Geral da República de Angola colocou em liberdade o presidente da Fundação Eduardo dos Santos, que se encontrava detido, por suspeita de crimes de burla por defraudação e corrupção ativa, disse hoje fonte judicial.

Presidente da Fundação José Eduardo dos Santos em liberdade com termo de identidade

Presidente da Fundação José Eduardo dos Santos em liberdade com termo de identidade

A Procuradoria-Geral da República de Angola colocou em liberdade o presidente da Fundação Eduardo dos Santos, que se encontrava detido, por suspeita de crimes de burla por defraudação e corrupção ativa, disse hoje fonte judicial.

Fonte dos Serviços Penitenciários disse à Lusa que Ismael Diogo foi libertado, com termo de identidade e residência, após notificação pela Procuradoria-Geral da República.

Segundo a fonte, Ismael Diogo, detido na sexta-feira passada, sob suspeita de ter incorrido na prática de crimes de burla por defraudação e corrupção ativa, regressou “no final do dia à comarca de Viana, simplesmente para buscar os seus pertences”.

Em comunicado emitido sobre a sua detenção, a PGR angolana indicou que Ismael Diogo foi detido por “se ter furtado” reiteradas vezes em comparecer na Direção Nacional de Investigação e Ação Penal da Procuradoria-Geral da República, tendo sido ordenada a sua detenção para responder em interrogatório de arguido.

“A PGR vem por este meio levar a conhecimento público que, na sequência do processo-crime nº 23/18, que corre termos na Direção de Investigação e Ação Penal, referente à investigação de fraudes financeiras no Conselho Nacional de Carregadores (CNC), foi constituído arguido o cidadão Ismael Diogo da Silva”, referia o comunicado da PGR.

A nota acrescentava ainda que “recaem (sobre Ismael Diogo) fortes suspeitas de ter incorrido na prática dos crimes de burla por defraudação, previsto e punível pelo Código Penal, e corrupção ativa, prevista e punível pela Lei sobre a Criminalização das Infrações Subjacentes ao Branqueamento de Capitais”.

Neste mesmo caso, está igualmente detido, desde o dia 21 de setembro deste ano, o antigo ministro dos Transportes de Angola, Augusto Tomás, e vários administradores do CNC, órgão afeto ao Ministério dos Transportes, por suposta má gestão e alegado desvio de fundos.

Na base da ação judicial, segundo noticio o semanário português Expresso, está a apropriação indevida, de 20 milhões de dólares saídos dos cofres do CNC, sob gestão do antigo ministro dos Transportes Augusto Tomás.

A Fundação Eduardo dos Santos tem como patrono o ex-Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, que criou em 1996 a instituição filantrópica apartidária, de caráter científico, cultural, social e sem fins lucrativos.

NME (JSD) // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS