Presidente angolano inicia visita privada aos Emirados Árabes Unidos no sábado

O Presidente angolano, João Lourenço, deixa Luanda no sábado com destino aos Emirados Árabes Unidos para uma visita privada de alguns dias, informou a Casa Civil do Presidente da República.

Presidente angolano inicia visita privada aos Emirados Árabes Unidos no sábado

Presidente angolano inicia visita privada aos Emirados Árabes Unidos no sábado

O Presidente angolano, João Lourenço, deixa Luanda no sábado com destino aos Emirados Árabes Unidos para uma visita privada de alguns dias, informou a Casa Civil do Presidente da República.

A nota de imprensa não dá quaisquer detalhes sobre o objetivo da visita nem sobre a agenda de João Lourenço.

O Dubai, um dos sete Emirados Árabes Unidos, é, desde o verão de 2019, o país onde reside Isabel dos Santos, filha do antigo presidente José Eduardo dos Santod, que é visada em processos judiciais em vários países, entre os quais Angola e Portugal,

O ex-chefe de Estado, que vivia em Barcelona, juntou-se em dezembro de 2020 à empresária, após a morte do seu marido, Sindika Dokolo.

Sindika Dokolo morreu a 29 de outubro do ano passado, vítima de afogamento quando praticava mergulho, no Dubai.

Os dois são os principais protagonistas do escândalo que ficou conhecido como “Luanda Leaks”, envolvendo o desvio de milhões de dólares do erário público angolano através de uma teia de empresas com ramificações em 40 países.

O ex-vice-presidente Manuel Vicente, outra alta figura do regime angolano, também terá regressado ao Dubai.

Segundo o site online Club-K o antigo governante e ex-patrão da petrolífera estatal angolana Sonagol, terá voltado ao Dubai para tratamento médico em meados de fevereiro.

O Presidente angolano tem sido acusado, por alguns setores políticos e analistas, de perseguir a família dos Santos e de exercer uma justiça seletiva no âmbito da luta anti-corrupção que João Lourenço elegeu como bandeira do seu mandato.

Também o nome de Manuel Vicente tem sido frequentemente associado a escândalos de corrupção e desvio de dinheiros públicos, mas o antigo homem forte de José Eduardo dos Santos beneficia ainda das imunidades do seu antigo cargo.

Segundo a legislação angolana, ex-presidentes e ex-vice-presidentes só podem ser responsabilizados criminalmente cinco anos após o final do seu mandato, que coincide com 2022, ano em que se realizam também eleições em Angola.

 

RCR // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS