Presidente angolano garante que situação da segurança pública em Luanda “está normalizada”

O Presidente angolano assegurou hoje que a segurança pública em Luanda, na sequência de crimes violentos registados há duas semanas na via pública, “está normalizada”, condenando a associação dos crimes à “deterioração da condição de vida dos angolanos”.

Presidente angolano garante que situação da segurança pública em Luanda

Presidente angolano garante que situação da segurança pública em Luanda “está normalizada”

O Presidente angolano assegurou hoje que a segurança pública em Luanda, na sequência de crimes violentos registados há duas semanas na via pública, “está normalizada”, condenando a associação dos crimes à “deterioração da condição de vida dos angolanos”.

Segundo João Lourenço, a onda de crimes violentos que culminaram “lamentavelmente com perda de vidas humanas” e que mereceu uma “vigorosa condenação e repulsa” da sociedade “está felizmente ultrapassada, fruto do empenho das autoridades”.

“Esta situação está felizmente ultrapassada, porque as autoridades competentes tudo têm feito e continuarão a fazer no sentido de garantir a paz e a segurança dos cidadãos na sua vida quotidiana”, afirmou hoje na abertura da segunda reunião ordinária do comité central do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA).

João Lourenço, também presidente do MPLA, partido em Angola no poder desde 1975, manifestou-se igualmente preocupado com a “forma simplista” com que “algumas vozes” na sociedade angolana ligam a onda de crimes “à deterioração das condições sociais e ao desemprego”.

“Com esta forma simplista de abordagem estaremos a justificar, senão mesmo a legitimar, o recurso à violência de quem atravessa por vezes, temporariamente, momentos difíceis na vida, o que acontece em todas as sociedades”, notou.

Para o Presidente angolano, “é injusto e discriminatório pensar-se que, por se ser pobre ou desempregado se é à partida um potencial criminoso ou potencial assassino”.

A coragem de todos os “grandes homens de Angola”, como Agostinho Neto, primeiro Presidente angolano, que nascerem e cresceram pobres, “mas lutaram e venceram contra as adversidades sem recurso ao crime”, foi o argumento de João Lourenço para reforçar a sua afirmação.

De acordo ainda com o Presidente de Angola, a recém-eleita direção da JMPLA, braço juvenil do partido, tem pela frente uma “enorme responsabilidade” de trabalhar com a juventude angolana na educação patriótica e dos valores que regem a conduta social.

“Num momento em que assistimos ao elevado consumo de bebidas alcoólicas e de drogas, o mau uso das redes sociais e de outras práticas que em nada dignificam a nossa juventude”, realçou.

A reunião, que decorre no Centro de Conferências de Belas, em Luanda, avalia o Projeto do Plano Anual de Atividades e de Plano de Eventos do Partido e o Projeto de Orçamento Anual do MPLA para o ano de 2020, o Projeto de Relatório de Balanço da Comissão Nacional Preparatória do 8.º Congresso Extraordinário do partido e matérias relacionados à Comissão de Disciplina e Auditoria do Comité Central.

DYAS // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS