Presidente angolano autoriza mais 20 milhões de euros para construir estradas em Benguela

O Presidente angolano autorizou o aumento do financiamento para reabilitação e asfaltagem de estradas secundárias nos municípios do Cubal e Ganda, província de Benguela, no valor de 15,1 mil milhões de kwanzas (20 milhões de euros).

Presidente angolano autoriza mais 20 milhões de euros para construir estradas em Benguela

Presidente angolano autoriza mais 20 milhões de euros para construir estradas em Benguela

O Presidente angolano autorizou o aumento do financiamento para reabilitação e asfaltagem de estradas secundárias nos municípios do Cubal e Ganda, província de Benguela, no valor de 15,1 mil milhões de kwanzas (20 milhões de euros).

O Despacho Presidencial, a que a Lusa teve hoje acesso, refere que o Governo da província de Benguela beneficiou, há três anos, de um financiamento interno, aprovado pelo Despacho Presidencial nº 104/18, de 01 de agosto, referente à reabilitação e asfaltagem de 19,5 quilómetros de estrada no município do Cubal e 10,8 quilómetros de estrada no município da Ganda.

No documento sublinha-se a necessidade de se atualizar os valores previamente aprovados, em 2018, com um adicional de 9,7 mil milhões de kwanzas (12,8 milhões de euros) para a construção da estrada secundária do município do Cubal e 5,4 mil milhões de kwanzas (7,1 milhões de euros) para o município da Ganda.

Noutro despacho presidencial foi autorizada a abertura de Concurso Público de Concessão de Obra Pública para a construção das infraestruturas físicas, loteamento, organização e funcionamento dos armazéns aduaneiros na Zona de Comércio Fronteiriço do Posto do Luvo, comuna do Luvo, município de Mbanza Congo, província do Zaire, com a República Democrática do Congo.

A construção dessas infraestruturas, “de extrema importância”, é justificada com a necessidade de criação de condições que garantam a melhoria do ambiente de negócios, incentivem o investimento privado e consolidem as infraestruturas físicas, com vista à organização de atividades económicas nas fronteiras nacionais.

Entre os objetivos, no documento realça-se ainda a necessidade de impulsionar as trocas comerciais inter-regionais, a circulação de pessoas e bens, promover as exportações lícitas, facilitar o comércio e desenvolver as zonas fronteiriças.

NME // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS