Presença de tropas norte-americanas no Médio Oriente divide candidatos democratas

O debate dos candidatos democratas às eleições primárias dos Estados Unidos mostrou divergências entre defensores da retirada das tropas norte-americanas do Médio Oriente e apoiantes da sua manutenção.

Presença de tropas norte-americanas no Médio Oriente divide candidatos democratas

Presença de tropas norte-americanas no Médio Oriente divide candidatos democratas

O debate dos candidatos democratas às eleições primárias dos Estados Unidos mostrou divergências entre defensores da retirada das tropas norte-americanas do Médio Oriente e apoiantes da sua manutenção.

Os candidatos mais progressistas, os senadores Bernie Sanders e Elizabeth Warren, prometeram que, se chegassem à Casa Branca, trariam “de volta a casa” os militares.

“O nosso exército é o melhor exército do mundo. Eles [militares] farão os sacrifícios que lhes pedirmos. Mas devemos parar de lhes pedir que resolvam problemas que não podem ser resolvidos militarmente”, afirmou Warren, terceira nas sondagens.

Por outro lado, o ex-vice-Presidente Joe Biden e a senadora Amy Klobuchar, mais moderados, defenderam a manutenção das tropas norte-americanas em alguns locais.

Biden prometeu que, se suceder ao Presidente norte-americano, Donald Trump, deixará algumas tropas no Médio Oriente para “patrulhar” o Golfo Pérsico e continuar a luta contra o grupo extremista Estado Islâmico, presente na Síria e no Iraque.

Já Klobuchar disse que retiraria os soldados norte-americanos do Afeganistão, mas manteria uma certa presença na fronteira entre a Síria e a Turquia.

Pete Buttigieg, autarca de South Bend, no estado do Indiana, o único com experiência militar, não esclareceu a sua posição, mas assegurou que consultaria o Congresso antes de uma intervenção militar no exterior, numa crítica a Trump por não ter consultado os congressistas antes do ataque em Bagdad que matou o general iraniano Qassem Soleimani.

FST // EJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS