PR moçambicano inaugura 147 quilómetros de estrada no sul de Moçambique

PR moçambicano inaugura 147 quilómetros de estrada no sul de Moçambique

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, inaugurou hoje 147 quilómetros de estrada na província de Gaza, sul do país, um via que estava degradada desde 2012, na sequência de cheias que afetaram aquela província.

Além da estrada, ligando pontos nos distritos de Chibuto e Guijá, na parte sul da província de Gaza, o chefe de Estado moçambicano inaugurou três pontes naquela província, que também estavam danificadas devido às cheias de 2012.

Falando num comício popular momentos após a inauguração, Nyusi apelou às comunidades para que respeitem as regras de trânsito, como forma de evitar acidentes de viação, que têm estado entre as principais preocupações do Governo nos últimos anos.

“O álcool e a falta de manutenção de viaturas são as principais causas destes acidentes. É preciso evitar”, disse o chefe de Estado moçambicano, que pediu também à polícia de trânsito para “patrulhar, mas não incomodar”.

“Nós instruímos a Polícia para não incomodar as pessoas”, frisou o chefe de Estado moçambicano.

A reabilitação esteve orçada em cerca de 102 milhões de dólares (90 milhões de euros), num projeto financiado pelo Banco Mundial e pelo Reino Unido.

O número de vítimas mortais em acidentes de viação em Moçambique tem vindo a diminuir ao longo dos anos, mas ficou ainda acima de 1.300 em 2017, de acordo com um relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE).

O documento, com base nos registos da Polícia da República de Moçambique (PRM), mostra que o número de óbitos baixou de 1.782 no ano 2015 para 1.588 em 2016 e para 1.354 em 2017.

EYAC // JH

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

PR moçambicano inaugura 147 quilómetros de estrada no sul de Moçambique

O Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, inaugurou hoje 147 quilómetros de estrada na província de Gaza, sul do país, um via que estava degradada desde 2012, na sequência de cheias que afetaram aquela província.