Portugal é o quinto país da NATO onde cidadãos mais apoiam a Aliança

Portugal é o quinto país da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês) onde os cidadãos mais apoiam a Aliança, mostra um relatório hoje publicado e referente a 2020.

Portugal é o quinto país da NATO onde cidadãos mais apoiam a Aliança

Portugal é o quinto país da NATO onde cidadãos mais apoiam a Aliança

Portugal é o quinto país da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês) onde os cidadãos mais apoiam a Aliança, mostra um relatório hoje publicado e referente a 2020.

Numa sondagem apresentada pelo relatório, 78% dos portugueses dizem que “votariam para o que país se mantivesse dentro da NATO”, registando-se maiores percentagens apenas na Albânia (94% respondem afirmativamente), na Lituânia (83%), na Polónia (82%) e na Roménia (80%).

Apenas 6% dos inquiridos em Portugal dizem que votariam para sair da NATO e 16% dizem “não saber”.

Interrogados também sobre se concordam com a afirmação de que a NATO torna “menos provável que uma nação estrangeira ataque” Portugal, o país aparece novamente no plantão da frente, sendo o sétimo país da Aliança com maior percentagem (72%).

Os números surgem no relatório anual do secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, referente ao ano 2020, que foi hoje publicado.

Além do apoio dos cidadãos à Aliança, são também apresentadas estatísticas relativamente aos gastos em defesa dos Estados-membros.

Neste aspeto, Portugal é o 17.º país da Aliança (num total de 30 Aliados) que mais gasta em defesa, tendo, segundo as estimativas apresentadas para 2020, reservado 1,59% do seu Produto Interno Bruto (PIB) este ano para o efeito.

Segundo a NATO, esta percentagem corresponde a 3,2 mil milhões de euros, sendo que cerca de 65,4% dessas verbas foram dedicadas a pessoal militar, 17,8% a operações e manutenção, 16,6% em equipamentos, investigação e inovação, e 0,2% a infraestruturas.

Apesar de não corresponder aos 2% do PIB que os Aliados se comprometeram a atingir até 2024 durante a cimeira no País de Gales, em 2014, Portugal mantém uma tendência crescente em termos de despesas no orçamento de defesa, sendo 2020 o ano em que, desde 2013, mais verbas reservou para esta área.

No que se refere ao conjunto dos Aliados, apenas 11 países cumprem os 2% do PIB acordados: Estados Unidos (3,73%), Grécia (2,68%), Estónia (2,33%), Reino Unido (2,32%), Polónia (2,31%), Letónia (2,27%), Lituânia (2,13%), Roménia (2,07%), França (2,04%), Noruega (2%) e Eslováquia (2%).

Os Estados Unidos mantêm-se o país que mais investe em defesa, representando 71% do total das verbas de defesa dos Aliados da NATO, contra os 29% restantes representados pelo Canadá e pelos outros Aliados europeus.

Apesar disso, a população americana é também uma das que menos apoia a manutenção na Aliança, com 57% a dizerem que votariam para continuarem a ser Estados-membros da Aliança, o sexto Estado-membro com a percentagem mais baixa.

TEYA // FPA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS