Portugal apoia adesão da Suécia à NATO e conta ser dos mais rápidos a ratificar

Portugal apoia a decisão hoje anunciada pela Suécia de se candidatar à NATO e conta estar “entre os mais rápidos” dos 30 países-membros a ratificar a adesão tanto da Suécia como da Finlândia, disso o ministro dos Negócios Estrangeiros.

Portugal apoia adesão da Suécia à NATO e conta ser dos mais rápidos a ratificar

Portugal apoia adesão da Suécia à NATO e conta ser dos mais rápidos a ratificar

Portugal apoia a decisão hoje anunciada pela Suécia de se candidatar à NATO e conta estar “entre os mais rápidos” dos 30 países-membros a ratificar a adesão tanto da Suécia como da Finlândia, disso o ministro dos Negócios Estrangeiros.

Em declarações aos jornalistas à margem de um Conselho de ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE), em Bruxelas, João Gomes Cravinho, questionado sobre o desejo da Suécia de se tornar membro da Aliança Atlântica, hoje oficialmente anunciado por Estocolmo, começou por dizer que o Governo de Portugal “tomou nota e apoia esta decisão do Governo sueco, tal como em relação à posição assumida pelo Governo finlandês”.

Para ler depois
Bispos de Jerusalém acusam Israel de “desrespeito” no funeral de jornalista da Al Jazeera
Os bispos da Terra Santa acusaram hoje Israel de “falta de respeito” à Igreja, na sequência da intervenção da polícia israelita durante os funerais de sexta-feira de Shireen Abu Akleh, jornalista palestiniana da cadeia Al Jazeera (… continue a ler aqui)

“Recebi há pouco uma mensagem da minha colega sueca a comunicar essa decisão por parte do Governo sueco. Sabemos que ainda há tramitação parlamentar, na Suécia e na Finlândia, mas a posição do Governo português será de acolhimento muito positivo e de apoio para a adesão rápida da Suécia e da Finlândia”, disse.

O chefe da diplomacia portuguesa sublinhou a necessidade de haver “um processo de adesão acelerado”, atendendo às circunstâncias atualmente vividas na Europa, com a agressão militar russa na Ucrânia, e garantiu que não será Portugal a atrasar os procedimentos. “A aprovação política eu acredito que será feita antes da cimeira [da NATO] de junho, em Madrid, e depois a rapidez da adesão vai depender do mais lento dos 30 países [membros] atuais em termos de ratificação, e Portugal não será o mais lento seguramente e esperamos que esteja entre os mais rápidos”, disse.

Questionado sobre se Portugal estaria disposto a facilitar o diálogo entre os dois países candidatos e a Turquia, que recentemente levantou reservas à entrada da Suécia e da Finlândia por estes dois países acolherem militantes curdos que Ancara considera terroristas, Gomes Cravinho estimou que não será necessária qualquer intermediação para que os três países cheguem a um compromisso. “Eu creio que há uma boa base de diálogo que já está em curso entre a Turquia e a Finlândia e a Suécia. Não creio que seja necessário [facilitar o diálogo]. Nós somos amigos dos três países envolvidos, mas penso que neste momento eles saberão encontrar uma plataforma de consenso”, declarou.

Já quanto às críticas e ameaças da Rússia, que se opõe fortemente ao alargamento da Aliança a estes dois países, comentou simplesmente que “a decisão sobre a entrada de novos países na NATO é uma decisão que compete aos países e aos aliados da NATO, não compete a mais nenhum país terceiro”.

A primeira-ministra sueca, Magdalena Andersson, anunciou hoje que a Suécia vai candidatar-se à adesão à NATO, pondo termo a dois séculos de uma política de não-alinhamento. “O Governo decidiu informar a NATO do desejo da Suécia de se tornar membro da aliança”, disse Andersson numa conferência de imprensa em Estocolmo, após uma reunião extraordinária do executivo e de um debate parlamentar. “Estamos a sair de uma era e a entrar numa nova”, disse a líder do Partido Social-Democrata sueco, aludindo à política de não-alinhamento mantida pela Suécia desde as Guerras Napoleónicas, do século XIX.

Impala Instagram


RELACIONADOS