Porta-voz da presidência brasileira diz que visita oficial de Bolsonaro aos EUA traduz prioridade da política externa

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, escolheu os Estados Unidos como destino da sua primeira viagem oficial ao exterior para demonstrar a sua prioridade na política externa, assegurou nesta quarta-feira o seu porta-voz.

Porta-voz da presidência brasileira diz que visita oficial de Bolsonaro aos EUA traduz prioridade da política externa

Porta-voz da presidência brasileira diz que visita oficial de Bolsonaro aos EUA traduz prioridade da política externa

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, escolheu os Estados Unidos como destino da sua primeira viagem oficial ao exterior para demonstrar a sua prioridade na política externa, assegurou nesta quarta-feira o seu porta-voz.

“Esta é a primeira visita bilateral do Presidente ao exterior e demonstra a prioridade que o Governo atribui à construção de uma sólida parceria com os Estados Unidos”, disse o porta-voz da presidência brasileira, Otávio do Rego Barros, em conferência de imprensa.

Bolsonaro, o líder da extrema-direita brasileira que assumiu o seu mandato no dia 01 de janeiro, teve em Davos sua primeira viagem ao exterior como Presidente, mas para participar no Fórum Económico Mundial.

O chefe de Estado brasileiro começará no próximo domingo uma série de visitas oficiais a países que considera parceiros estratégicos, que principiam nos Estados Unidos, seguindo-se Chile e Israel.

“A prioridade da agenda externa brasileira é fortalecer o relacionamento com os países que possam contribuir para o desenvolvimento, a prosperidade, o bem-estar e a segurança dos brasileiros”, afirmou o porta-voz.

Rego Barros assegurou que, além reunião bilateral que terá com o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com quem pretende assinar acordos, Bolsonaro aproveitará a visita para participar em fóruns sobre oportunidades de negócio.

O porta-voz acrescentou ainda que uma das demonstrações de que o Brasil também se tornou numa prioridade para os Estados Unidos foi Trump ter convidado Bolsonaro a hospedar-se na Casa Blair, a residência oficial dos convidados do Governo dos EUA, localizada na ala oeste da Casa Branca.

“É uma honra que o Governo dos EUA concede a apenas alguns chefes de Estado selecionados”, frisou Rego Barros.

O porta-voz da presidência afirmou que entre os acordos que Bolsonaro pretende assinar em Washington destaca-se um na área tributária e outro de salvaguardas tecnológicas, para permitir que os Estados Unidos utilizem a base brasileira de Alcântara para lançar foguetes espaciais.

De acordo com a agenda avançada por Regos Barros, Bolsonaro partirá para Washington no domingo às 08:00 (hora local, 11:00 em Lisboa), com chegada prevista às 16:00 (19:00 em Lisboa), e nesse mesmo dia terá um jantar com autoridades e formadores de opinião na residência do embaixador do Brasil em Washington.

Na segunda-feira, 18 de março, o chefe de Estado participará num fórum de investimentos e outro sobre “o futuro da economia brasileira”, organizado pelo Comité Empresarial Brasil-Estados Unidos, além de se encontrar com o ex-secretário do Tesouro norte-americano Henry Merritt Paulson.

Na terça-feira, dia 19 de março, após uma reunião na Casa Blair com o Secretário-Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, Bolsonaro terá uma reunião privada com Trump na Sala Oval da Casa Branca.

Os dois líderes terão um almoço de trabalho e uma reunião prolongada com os ministros dos dois países e darão uma conferência de imprensa na Casa Branca.

Bolsonaro viajará para a capital norte-americana com uma delegação que incluirá seis ministros, entre eles o das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, da Economia, Paulo Guedes, e da Justiça, Sergio Moro.

Será também acompanhado pelo Ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno Ribeiro, e pelos responsáveis da pasta do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da Agricultura, Teresa Cristina.

MYMM // JMC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS