PM de Cabo Verde destaca “atitude” dos jovens para se firmarem no mercado de trabalho

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, destacou hoje a “atitude” dos jovens do país para se firmarem no mercado de trabalho, com o empreendedorismo, serem donos dos seus negócios e criarem empregos para outros.

PM de Cabo Verde destaca

PM de Cabo Verde destaca “atitude” dos jovens para se firmarem no mercado de trabalho

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, destacou hoje a “atitude” dos jovens do país para se firmarem no mercado de trabalho, com o empreendedorismo, serem donos dos seus negócios e criarem empregos para outros.

“Uma coisa importante que está também a se desenvolver: atitude. Hoje há uma atitude diferente da nossa juventude. O sonho não é bater às portas do Estado, dos ministérios, das câmaras municipais para pedir emprego. O sonho é ter condições, oportunidades para se firmarem quer no mercado de trabalho, com o empreendedorismo, para serem donos dos vossos negócios e criar emprego para outros”, disse o chefe do Governo.

O primeiro-ministro falava durante o ato de inauguração da reabilitação do Centro de Emprego e Formação Profissional (CEFP) da Praia e apresentação das ofertas formativas para o maior município do país.

“É assim que os países avançam é assim que Cabo Verde deve avançar. Por isso, nós ficamos extremamente satisfeitos quando ouvimos os jovens e dizer eu quis, procurei, consegui, desenvolvi e vou crescer. Isto é atitude”, completou Ulisses Correia e Silva.

Por isso, o governante pediu aos jovens para aproveitarem “ao máximo”, esperando que essas oportunidades cheguem a todas as ilhas do país.

“Temos ainda o problema das assimetrias regionais em Cabo Verde, a Brava, o Maio, o Fogo, São Nicolau, não por causa apenas de ofertas de formação, que vão ser estimuladas, mas por causa da dinâmica económica, que tem que estar associada, para que esses jovens possam ter oportunidades lá onde vivem, lá onde querem ficar a viver. Esse é o grande desafio que seguramente venceremos todos”, perspetivou.

A reabilitação do CEFP da Praia custou 15,8 milhões de escudos cabo-verdianos (143 mil euros), sendo financiada na sua maioria pelo Grão-Ducado do Luxemburgo, em 13,8 milhões de escudos (125 mil euros), enquanto o restante saiu dos cofres do Governo de Cabo Verde.

Além da reabilitação física do edifício, situado na zona de zona de Chã de Areia, foram instalados equipamentos modernos para as oficinas de canalização, eletricidade e serralharia e estruturas metálicas.

Segundo o presidente do conselho diretivo do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) de Cabo Verde, Paulo Santos, com a reabilitação o centro já poderá funcionar no período pós-laboral, com capacidade para receber cerca de 500 formandos nos vários turnos.

Neste momento, o presidente do IEFP avançou que mais de mil jovens estão em formação em todos os centros do país.

E mesmo numa situação pandémica, o dirigente disse que no ano passado o IEFP beneficiou mais de 4.000 jovens com ações de formação, uma redução em relação aos quase 6.000 de 2019.

“Nós queremos agora retomar a dinâmica do ano de 2019, foi muito boa, porque em 2020 tivemos uma quebra, um resfriamento por causa da pandemia de covid-19, mas queremos retomar tudo em 2021”, garantiu Paulo Santos.

Além do IEFP, Cabo Verde dá formação profissional em instituições como a Escola de Hotelaria e Turismo (EHTCV) ou o Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI).

“Estamos nessa mesma dinâmica, o setor está bem integrado e penso que temos tudo para dar certo e para contribuir para o processo de desenvolvimento económico e social de Cabo Verde”, projetou o presidente do IEFP.

 

RIPE // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS