Plano de recuperação da UE pode impulsionar crescimento já em 2021

A presidente do Banco Central Europeu defendeu que, se for implementado como previsto, o plano de recuperação da UE pode impulsionar o crescimento económico na Europa já em 2021.

Plano de recuperação da UE pode impulsionar crescimento já em 2021

Plano de recuperação da UE pode impulsionar crescimento já em 2021

A presidente do Banco Central Europeu defendeu que, se for implementado como previsto, o plano de recuperação da UE pode impulsionar o crescimento económico na Europa já em 2021.

Bruxelas, 08 fev 2021 (Lusa) — A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, defendeu hoje perante o Parlamento Europeu que, se for implementado como previsto, o plano de recuperação da UE pode impulsionar o crescimento económico na Europa já em 2021.

Intervindo no hemiciclo de Estrasburgo por ocasião da apresentação do relatório anual do BCE, Lagarde insistiu que “o pacote inovador do ‘NextGenerationEU'”, o Plano de Recuperação da UE acordado no final do ano passado pelos 27 para a Europa fazer face à crise provocado pela pandemia da covid-19, “deve ser implementado de modo a que a UE e todos os seus Estados-membros saiam desta crise com estruturas económicas mais fortes e um elevado grau de coesão”.

“Se implementado conforme planeado, o ‘NextGenerationEU’ poderá mesmo impulsionar o crescimento já este ano”, disse, acrescentando de imediato que, para tal, é “essencial” que os fundos deste plano de recuperação “sejam desembolsados rapidamente e utilizados para apoiar reformas estruturais e projetos de investimento que contribuam para o crescimento”.

Segundo a presidente do BCE, tal não só “impulsionaria o crescimento potencial”, como “contribuiria também para alcançar os objetivos da UE nos domínios das alterações climáticas e da digitalização”.

A intervenção de Christine Lagarde ocorre na semana em que o Parlamento Europeu vai votar o Mecanismo de Recuperação e Resiliência, o pilar do plano de recuperação ‘NextGenerationEU’, dotado com 672,5 mil milhões de euros em subvenções e empréstimos para financiar medidas nacionais contra as consequências económicas e sociais da pandemia.

O texto da proposta de regulamento que estabelece o mecanismo já foi acordado, de forma provisória, entre o Parlamento e o Conselho em dezembro de 2020.

ACC/ANE // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS