Pelo menos 37 civis mortos em ataque por alegados ‘jihadistas’ no Níger

Pelo menos 37 civis, incluindo uma dúzia de mulheres e crianças, foram mortos na segunda-feira na região ocidental do Níger, quando alegados ‘jihadistas’ atacaram uma aldeia na região de Tillabéri, perto do Mali, segundo fontes locais.

Pelo menos 37 civis mortos em ataque por alegados 'jihadistas' no Níger

Pelo menos 37 civis mortos em ataque por alegados ‘jihadistas’ no Níger

Pelo menos 37 civis, incluindo uma dúzia de mulheres e crianças, foram mortos na segunda-feira na região ocidental do Níger, quando alegados ‘jihadistas’ atacaram uma aldeia na região de Tillabéri, perto do Mali, segundo fontes locais.

“O ataque teve lugar em Darey-Daye por volta das 15:00 [locais, mesma hora em Lisboa]” de segunda-feira por “homens armados em motos” que dispararam contra agricultores, segundo um autarca, citado pela agência France-Presse (AFP).

Segundo a mesma fonte, 37 pessoas foram mortas, incluindo quatro mulheres e 13 menores. Outras quatro mulheres ficaram feridas.

O ataque foi confirmado por um jornalista local, que o descreveu como “muito sangrento”.

“Encontraram as vítimas nos seus campos e dispararam contra tudo o que se movia”, disse.

A aldeia de Darey-Daye, 40 quilómetros a leste da cidade de Banibangou e no departamento de Tillabéri, foi já alvo de homens armados.

Composta por uma vasta área de quase 100.000 quilómetros quadrados, a região de Tillabéri situa-se na zona das “três fronteiras”, que reúne Níger, Mali e Burkina Faso e é palco regular de ofensivas por grupos ‘jihadistas’ afiliados à Al-Qaida ou ao grupo Estado Islâmico.

Em março, alegados ‘jihadistas’ atacaram veículos que regressavam de um grande mercado semanal e provocaram a morte de 66 pessoas, segundo números oficiais.

A região continua instável, apesar dos esforços para garantir a segurança do território.

Um contingente de 1.200 soldados do Chade, considerado o mais aguerrido da região, foi destacado para a zona das “três fronteiras” como parte da força multinacional anti-‘jihadista’ do G5-Sahel, composta por Burkina Faso, Chade, Mali, Mauritânia e Níger.

De acordo com as Nações Unidas, em 31 de janeiro deste ano, a violência tinha forçado 100.000 pessoas a fugirem das suas aldeias na região de Tillabéri.

Na semana passada, a organização Human Rights Watch (HRW) apontou que mais de 420 civis foram mortos desde o início do ano na região ocidental do Níger por grupos ‘jihadistas’.

JYO // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS