Pelo menos 243 menores foram mortos na guerra da Ucrânia

Pelo menos 243 menores morreram na Ucrânia desde que a invasão russa começou, em 24 de fevereiro, informou hoje a procuradoria-geral do país, segundo as agências de notícias locais.

Pelo menos 243 menores foram mortos na guerra da Ucrânia

Pelo menos 243 menores foram mortos na guerra da Ucrânia

Pelo menos 243 menores morreram na Ucrânia desde que a invasão russa começou, em 24 de fevereiro, informou hoje a procuradoria-geral do país, segundo as agências de notícias locais.

O número de feridos no conflito foi estimado em 444, segundo dados da mesma fonte, que não são definitivos, já que o Ministério Público não tem acesso às áreas onde os combates ainda estão ativos ou que foram ocupados pelos russos. A região de Donetsk, no leste da Ucrânia, é a região onde mais crianças morreram ou ficaram feridas, totalizando 156 menores, enquanto na região de Kiev foram registadas 116 vítimas e na vizinha Kharkov, os casos já somam 109.

Para ler depois
Esperança de vida baixou com a pandemia de covid-19
A esperança de vida à nascença em Portugal baixou para 80,72 anos, devido à pandemia de covid-19, segundo o Instituto Nacional de Estatística, que hoje divulgou os dados do triénio 2019-2021 (… continue a ler aqui)

Outras regiões onde ocorreram mortes de menores são Chernigov, Lugansk, Kherson, Mykolaiv, Zaporijia, Sumy e Zhytomir. Devido aos constantes ataques e bombardeamentos de áreas civis de cidades e vilas ucranianas pelas forças armadas da Federação Russa, foram danificadas 1.888 instituições de ensino, das quais 180 ficaram completamente destruídas.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de quatro mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior. A ofensiva militar causou a fuga de mais de 6,6 milhões de pessoas para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU. A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Impala Instagram


RELACIONADOS