Partido Trabalhista prepara abolição da Câmara dos Lordes britânica

O líder do Partido Trabalhista, Keir Starmer, prometeu hoje “a maior transferência de poder de sempre de Westminster para o povo britânico” se ganhar as próximas eleições legislativas no Reino Unido, incluindo a abolição da Câmara dos Lordes.

Partido Trabalhista prepara abolição da Câmara dos Lordes britânica

Partido Trabalhista prepara abolição da Câmara dos Lordes britânica

O líder do Partido Trabalhista, Keir Starmer, prometeu hoje “a maior transferência de poder de sempre de Westminster para o povo britânico” se ganhar as próximas eleições legislativas no Reino Unido, incluindo a abolição da Câmara dos Lordes.

Num discurso em Leeds, no norte de Inglaterra, Keir Starmer, líder da principal força da oposição britânica, apresentou o conteúdo de um relatório intitulado “Um Novo Reino Unido”, que encomendou ao antigo primeiro-ministro Gordon Brown em 2020.

O documento propõe reformas no sistema político britânico, incluindo a abolição da Câmara dos Lordes, a câmara alta do parlamento britânico.

Starmer defende uma “nova segunda câmara, mais pequena e democraticamente eleita” que seja “menos dispendiosa, mas também que represente as regiões e nações do Reino Unido”.

A dimensão e o modelo de formação da Câmara dos Lordes tem sido motivo de debate e tentativas de reforma há vários anos, sobretudo devido ao aumento do número de membros, atualmente cerca de 800, mais do que os 650 da Câmara dos Comuns (câmara baixa do parlamento).

Os Lordes são membros nomeados a título vitalício devido à experiência e conhecimento em certas matérias, por interesse político, por inerência do cargo que ocupam e por privilégio hereditário.

O maior partido da oposição britânica pretende fazer primeiro uma consulta sobre as propostas do relatório elaborado por Gordon Brown, composto por 150 páginas, antes de decidir se as coloca no seu próximo programa eleitoral.

As próximas eleições legislativas britânicas não têm data definida, tendo apenas que se realizar até janeiro de 2025, mas a maioria dos analistas preveem que tenham lugar em 2024.

“Ao dar mais poderes às nossas vilas, cidades, regiões e nações para trabalharem em conjunto nos planos de crescimento locais, o Partido Trabalhista vai relançar a nossa economia”, argumentou Starmer.

Os novos poderes incluem áreas como formação profissional, transportes, planeamento urbanístico ou cultura, promovendo o desenvolvimento de “centenas de pólos de atividade económica”, acrescentou o líder trabalhista.

Outra ideia é descentralizar e transferir 50 mil postos de trabalho da função pública para fora da capital britânica.

Ao reformar a administração pública, Keir Starmer espera melhorar as relações entre o governo central e os executivos autónomos da Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte e contrariar o movimento pela independência escocês.

“Este vai ser o debate a partir de agora, não a independência contra a situação atual, mas a mudança dentro do Reino Unido”, disse, por sua vez, Gordon Brown.

 

BM // SCA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS