Partido conservador de Borisov volta a ganhar eleições na Bulgária — sondagens

O conservador Cidadãos para um Desenvolvimento Europeu da Bulgária (GERB), liderado pelo populista Boiko Borisov, venceu as legislativas antecipadas de hoje na Bulgária, segundo as primeiras sondagens.

Partido conservador de Borisov volta a ganhar eleições na Bulgária -- sondagens

Partido conservador de Borisov volta a ganhar eleições na Bulgária — sondagens

O conservador Cidadãos para um Desenvolvimento Europeu da Bulgária (GERB), liderado pelo populista Boiko Borisov, venceu as legislativas antecipadas de hoje na Bulgária, segundo as primeiras sondagens.

As projeções à boca das urnas indicam que o GERB obteve 23% dos votos, um ponto percentual acima da formação de protesto recente Este Povo Existe (ITN), que conseguiu 22%, segundo a agência noticiosa espanhola EFE.

Os conservadores já tinham ganho as eleições de 4 de abril, mas a impossibilidade de conseguirem uma coligação para governar, assim como a ausência de uma alternativa de governo levou ao escrutínio de hoje.

Depois de três tentativas para formar um Governo e face à legislação, o Presidente búlgaro, Rumen Radev, convocou novas eleições.

A 05 de maio, ao anunciar a data das eleições, Radev alertou para a necessidade de se evitar a incapacidade de se formar um novo executivo, uma vez que, caso contrário, a Bulgária cairá “não só numa crise política como constitucional”.

Nas legislativas de 4 de abril, o GERB do primeiro-ministro Borisov obteve 26% dos votos, menos seis pontos percentuais que em 2017, o que representou uma perda de 20 deputados.

O ITN, do cantor e apresentador de televisão Slavi Trifonov, foi então o segundo partido mais votado.

Esta é uma das novas formações surgidas no país na sequência das manifestações em massa do passado verão que, face a alegados atos de corrupção, pediram a demissão de Borisov, que ganhou as cinco eleições realizadas desde 2009 e foi primeiro-ministro três vezes.

O país dos Balcãs, com sete milhões de habitantes e considerado o Estado-membro mais pobre da União Europeia, aderiu ao bloco em 2007, a par da vizinha Roménia.

 

PAL (JSD) // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS