PAN aponta OE2020 como “prova de força” da capacidade de diálogo

O PAN (Pessoas–Animais–Natureza) apontou hoje a discussão e votação da proposta do Orçamento do Estado para 2020 como “a prova de força” da “capacidade de diálogo” do Governo e dos partidos da oposição.

PAN aponta OE2020 como

PAN aponta OE2020 como “prova de força” da capacidade de diálogo

O PAN (Pessoas–Animais–Natureza) apontou hoje a discussão e votação da proposta do Orçamento do Estado para 2020 como “a prova de força” da “capacidade de diálogo” do Governo e dos partidos da oposição.

Reagindo à Lusa à mensagem de Ano Novo do Presidente da República, a líder parlamentar do PAN, Inês de Sousa Real, destacou a discussão e votação da proposta do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), prevista na generalidade para 09 e 10 de janeiro, como “um momento decisivo” que “vai ser a prova de força do que é a capacidade de diálogo do Governo e dos partidos da oposição”.

A partir da ilha açoriana do Corvo, o chefe de Estado desejou hoje, primeiro dia do ano, um 2020 “de esperança”, com um “Governo forte, concretizador e dialogante” e uma “oposição forte e alternativa”, e pediu “capacidade de entendimento entre os partidos quando o interesse nacional assim exija”.

Marcelo Rebelo de Sousa elegeu para a mensagem deste ano como áreas essenciais a saúde, a segurança, a coesão e inclusão, o conhecimento, a justiça, a “preocupação climática”.

Para a líder parlamentar do PAN, “é fundamental” que o Governo PS, sem maioria absoluta, “tenha capacidade de aproximação” às “preocupações manifestadas pelas diferentes forças políticas” e possa “acolher algumas das medidas que são estratégicas”.

“Não podemos continuar a ser um Portugal a duas velocidades em matéria de acesso à saúde”, sustentou Inês de Sousa Real, enumerando como medidas propostas pelo PAN para 2020 o investimento de 10 milhões de euros na saúde mental e de 29 milhões de euros na agricultura biológica.

A deputada escusou-se a dizer se o PAN vai viabilizar ou não a proposta do Governo para o OE2020, considerando que seria “precipitado avançar com o sentido de voto” face à ausência de um “sinal concreto” do Governo sobre as medidas sugeridas pelo partido.

O PAN, que escolhe as alterações climáticas como um dos desafios, enalteceu o facto de o Presidente da República se ter deslocado à ilha do Corvo, a mais pequena do arquipélago dos Açores, uma das regiões do país que “mais vão sentir os fenómenos meteorológicos extremos”.

ER (NS) // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS