PAN acusa Governo de ter uma “visão fechada” para a sustentabilidade

A líder parlamentar do PAN acusou hoje o Governo de ter uma “visão fechada” relativamente à sustentabilidade e criticou que a caça seja permitida, pedindo um “real compromisso” das políticas públicas para o combate às alterações climáticas.

PAN acusa Governo de ter uma

PAN acusa Governo de ter uma “visão fechada” para a sustentabilidade

A líder parlamentar do PAN acusou hoje o Governo de ter uma “visão fechada” relativamente à sustentabilidade e criticou que a caça seja permitida, pedindo um “real compromisso” das políticas públicas para o combate às alterações climáticas.

“Neste dia de hoje foi por várias vezes evidente ou é perfeitamente possível concluir aquela que tem sido a visão fechada do Governo em relação à sustentabilidade, pois aliás é este mesmo Governo que na sua nova política de descarbonização se tem decidido aliá-la à desflorestação”, afirmou a líder parlamentar do PAN.

A deputada Bebiana Cunha falava no encerramento do primeiro dia das jornadas parlamentares do Pessoas-Animais-Natureza, que decorreu ‘online’.

Apontando que o partido “não pode aceitar nem pode compactuar” com esta situação, a parlamentar assinalou que o PAN apresentou “uma proposta de novo regime de avaliação de impacte ambiental” que visa garantir “que não há um declínio da biodiversidade com a instalação de painéis fotovoltaicos”.

“Até porque este é o mesmo Governo que no local onde caçadores fizeram uma  chacina de 500 animais, na Torre Bela, quer agora instalar uma central de painéis fotovoltaicos, e é este mesmo Governo que continua a permitir a caça desportiva sem realizar quaisquer censos em relação às espécies caçadas”, criticou.

Bebiana Cunha sublinhou ainda que, “em pleno século XXI”, em Portugal “continua a ser permitido matar por desporto animais à paulada, com lanças, com bestas, com arcos, e ainda se ousa chamar a estas práticas conservação da natureza”.

“De facto, a natureza com amigos assim, não precisa de inimigos”, ironizou.

A líder parlamentar considerou ainda que “é evidente” que está em causa “uma verdadeira emergência climática” e que é necessário “um real compromisso das políticas públicas no combate às alterações climáticas e na mitigação dos seus efeitos”.

“Ficou também claro ao longo do dia de hoje o compromisso do PAN com a saúde ambiental, com a saúde pública”, acrescentou.

No que toca à participação cidadã, Bebiana Cunha assinalou ainda que o PAN apresentou uma iniciativa, “que vai ser discutido em breve, sobre a importância de se criar uma assembleia de cidadãos e cidadãs a nível nacional para acompanhamento e monitorização da aplicação dos fundos europeus através do PRR [Plano de Recuperação e Resiliência]”.

Com o mote “Travar o ponto de não retorno, ação de resposta à crise climática”, as jornadas do grupo parlamentar do PAN (que tem três deputados) decorrem entre hoje e terça-feira, sendo que o primeiro dia contou com iniciativas ‘online’ e o segundo será dedicado a visitas na zona de Leiria.

Ao longo do dia de hoje, os deputados participaram em debates em torno de temas como o impacto da atividade pecuária no ambiente e na saúde pública, a proteção dos oceanos, a transição energética ou as alterações climáticas e vão contar com a visão de especialistas e associações convidadas.

As jornadas do PAN terminam na terça-feira, com visitas ao Pinhal de Leiria, à ribeira dos Milagres e ao canil municipal de Leiria.

A sessão de encerramento das jornadas parlamentares está marcada para o final da manhã, no Mercado de Sant’Ana, em Leiria, e contará com uma intervenção da porta-voz do PAN, e deputada, Inês de Sousa Real.

 

FM // RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS